Região gera 250 postos de trabalho em agosto

Dados da Fiesp/Ciesp do Estado apontam que empresas de produtos alimentícios foram as que mais contrataram no período

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 13/09/2017
Horário 13:04

Com o desemprego em alta, é perceptível o número de pessoas buscando uma oportunidade no mercado de trabalho. Na entorno, houve um sinal positivo no último mês, uma vez que a região de Presidente Prudente foi a quinta maior do Estado a abrir vagas de emprego. A variação ficou em 0,63%, em relação a julho, entre contratações e demissões, que representa 250 novos postos de trabalho, segundo a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo). Os números foram divulgados nesta semana.

O levantamento também leva em conta o setor que mais influenciou o cálculo indicador total da região. As empresas de produtos alimentícios lideraram com uma variação de 1,44%. Pertencente a esse grupo, a gerência comercial da Liane Alimentos, em Prudente, explica que, apesar de tudo, não houve uma melhor significativa, pois não teve uma grande mudança. “A gente conseguiu manter o quadro de funcionários, conforme a necessidade. Esperamos que o avanço seja maior e constante”, aponta.

É o que a Alimentos Wilson também torce para que ocorra. O supervisor de Recursos Humanos da empresa, Rivair Costa Silva, alega que o aumento na contratação no período citado ocorreu e tem um porquê. Ele explica que agosto é o mês que começa a safra do tomate, principal matéria-prima do estabelecimento, e, por isso, necessita de mais colaboradores. “Infelizmente, no nosso caso, trata-se de algo pontual. Mas a gente tem conseguido manter o quadro e isso já é motivo para comemoração”, afirma.

O diretor regional do Ciesp, em Prudente, Wadir Olivetti Júnior, argumenta que o ramo alimentício diz muito a respeito da destinação da renda das famílias brasileiras, por conta disso, acaba sendo um reflexo do consumo. “As empresas começam finalmente a respirar e compor, pouco a pouco, as vagas que extinguiram no ano passado”, lembra. Ainda de acordo com ele, o sinal de melhora promete ser constante, mesmo que devagar.

Veja também