Região negocia flexibilização e pede ao Estado leitos de UTI

Por enquanto, DRS-11 continua na fase vermelha; entidades, prefeitos e deputados foram à capital pedir afrouxamento, e estado deve analisar demanda

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 16/06/2020
Horário 16:48
Cedida: Reunião foi realizada na capital paulista, com membros regionais Foto: Cedida: Reunião foi realizada na capital paulista, com membros regionais

Por ora, a DRS (Departamento Regional da Saúde) 11 continua na fase vermelha do Plano São Paulo, isto é, sem flexibilização do comércio e com medidas máximas de restrição. Contudo, o Governo do Estado de São Paulo se comprometeu a analisar a demanda solicitada pela região na manhã de hoje: retorno da quarentena regional na fase amarela, ou ao menos evoluir para a laranja. Mas além disso, entidades, prefeitos e deputados que estiveram na ocasião, aproveitaram a oportunidade para também solicitar mais leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

As respostas vieram do secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que foi quem conduziu a reunião com os representantes. Segundo ele, no momento não haverá mudança na classificação da região, mas se comprometeu a encaminhar a solicitação ao governador João Doria (PSDB). Já em relação ao aumento da capacidade hospitalar, pontuou que fará isso “imediatamente”, o que significa que a região deve ganhar mais leitos nos próximos dias.

O pedido foi feito pelo grupo que esteve no Palácio dos Bandeirantes, tanto hoje quanto na segunda-feira, quando também houve uma reunião. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado Ed Thomas (PSB), que estava presente, falou da situação e afirmou que, quanto aos leitos “o governo reconheceu que temos poucos e que foi o governo que não nos deu”.

O presidente da Unipontal (União dos Municípios do Pontal do Paranapanema) e prefeito de Presidente Venceslau, Jorge Duran (PSD) reafirmou que o compromisso foi firmado para que a capacidade hospitalar seja alterada em duas semanas. E de modo geral, confirmou que “o governo vai analisar os pedidos e se posicionar sobre a flexibilização”, que as propostas de todas as entidades estiveram na mesma linha e que a questão do sistema prisional (local com bastantes casos e mortes) terá seus protocolos reavaliados.

 

UMA VIA DE

MÃO DUPLA

Como dito, a proposta colocada foi o retorno para a fase amarela. Entretanto, o deputado estadual Mauro Bragato (PSDB), que esteve na reunião na manhã de hoje, explicou que o Estado apresentou números da região que mostram um crescimento da doença, bem como do comprometimento dos leitos regionais.

Por conta disso, os representantes se comprometeram a formular uma resposta ao Executivo estadual, com outros dados que possuem, e que comprovam uma situação menos problemática da que o governo estadual exibe. A ideia é defender a flexibilização demandada. “Foi uma boa reunião. Abriu as negociações. Estou confiante de que vai dar certo. Agora vamos sentar para avaliar esses números e apresenta-los o quanto antes”, completa. De acordo com Duran, isso deve ser feito até hoje.

Mas em nota, o prefeito de Prudente e conselheiro regional, Nelson Roberto Bugalho (PSDB) disse que a “luta pela revisão na mudança de fase continua” e que ainda hoje enviaria para o comitê paulista os dados da nossa região em relação à pandemia, para que sejam confrontados com as informações que o Estado possui. “Se for necessário, entraremos com medidas judiciais para garantir um tratamento justo para Prudente e região”, finaliza.

saiba mais
Nas duas reuniões realizadas, ainda teve a participação de prefeitos regionais, o deputado estadual Reinaldo Alguz (PV), além da Umas (União dos Municípios da Alta Sorocabana), Amnap (Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista) e o Civap (Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema).

 

 

Veja também