Sem deixar paixão pelo esporte, ex-atletas tocam novos projetos

Esportes - Jefferson Martins

Data 17/01/2016
Horário 05:47
 

Tarefa das mais difíceis para um atleta é decidir a hora de parar. E com os medalhistas olímpicos nos Jogos de Sidney em 2000, isso não é diferente. Tanto Claudinei Quirino, quanto André Domingos sofreram com a situação. No entanto, buscaram motivação para ingressar em outra carreira, mas sem deixar de lado a paixão pelo esporte.

André estudou arquitetura e se divide entre a atuação profissional e um projeto com crianças chamado Velozes em Ação. "Eu costumo dizer o seguinte: nosso grande adversário é quando chega este momento, de entender que o corpo não consegue responder mais. De enxergar que a gente não vai mais acordar, colocar a sapatilha e ir para a pista. Mas eu sempre fui muito consciente, me preparei, estudei arquitetura e urbanismo e hoje estou trabalhando", afirma.

No entanto, o ex-velocista não esconde que o que enche de orgulho é falar das crianças do Velozes em Ação. "É emocionante, é muito bacana. E se depender de mim, vou continuar fazendo para o resto da minha vida. Eles pesquisam sobre mim e dizem ‘professor eu quero ser igual você’. Presidente Prudente é um celeiro de talentos, o que eles precisam é de uma oportunidade, e a nossa cidade precisa voltar a ser grande dentro do esporte. Eu faço apenas o que um dia fizeram por mim", destaca.

 

Futuro jornalista

No caso de Quirino a dificuldade foi tremenda, tanto que ele faz uma revelação. "Se aparecer um gênio da lâmpada na minha frente e dizer que eu tenho direito a três desejos, um deles com toda certeza vai ser voltar a correr", brinca. "Eu sou apaixonado por este esporte. Eu parei, mas o atletismo não saiu de mim. Nós temos 840 alunos nas escolas, com aula de iniciação, e que o objetivo é despertar o interesse nas crianças", afirma.

Além de comentarista do Sportv, Claudinei desenvolve tanto em Prudente quanto junto à confederação brasileira inúmeras atividades relacionadas ao atletismo. E está preste a iniciar um desafio e realizar também um sonho: estudar Jornalismo. "A vida inteira eu treinei, corri, competi, mas não sabia falar nada do nosso esporte. E eu comecei como uma brincadeira, eu fazia um programinha na TV Cidade, e o pessoal da Rede Globo viu, e muitas coisas eu estou aprendendo ainda. Estou sempre lendo e agora vou estudar e me aperfeiçoar", completa.

 

Curiosidade

Ao longo da carreira, Claudinei Quirino conquistou medalhas em todas as competições que disputou. Entre as mais significativas, estão além da olímpica, a prata no Mundial de Sevilha na Espanha, em 1999, nos 200 metros e o bronze, em Atenas, na Grécia, em 1997. André, além das duas medalhas em Olímpiadas, tem no currículo, a prata no Mundial de Paris na França, em 2003, pelo revezamento 4x100 m.

Veja também