"Nenhum prefeito pode liberar o comércio. Se o fizer, estará cometendo crime de desobediência", diz Bugalho

Declaração foi feita durante reunião com lideranças para discutir novas medidas para enfrentamento da pandemia

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 27/03/2020
Horário 15:43
Secom - Bugalho esteve reunido hoje com lideranças do comércio e deputados estaduais Foto: Secom - Bugalho esteve reunido hoje com lideranças do comércio e deputados estaduais

Para debater sobre a economia de Presidente Prudente, bem como a respeito das novas medidas que devem ser adotadas para enfrentamento da pandemia de coronavírus, o Covid-19, a fim de preservar o fomento do comércio local e da região, o prefeito Nelson Roberto Bugalho (PSDB) esteve reunido hoje com lideranças do setor e os deputados estaduais Mauro Bragato (PSDB) e Ed Thomas (PSB).

Durante a reunião, o chefe do Executivo expôs que, embora o município esboce mecanismos a fim de atender aos anseios dos representantes do comércio local, o decreto do governo do Estado de São Paulo, que determina quarentena até 7 de abril, não permitiria que as lojas fossem reabertas antes da data.

"Hoje, nenhum prefeito do Estado pode liberar nada. Se o fizer, estará cometendo crime de desobediência. A responsabilidade da abertura do comércio como querem hoje não depende do prefeito", ressaltou Bugalho.

Diante da fala do chefe do Executivo, os deputados estaduais se colocaram à disposição para ajudarem nas tratativas com o governador João Doria (PSDB). "Temos que mudar o panorama e unir forças políticas contra o coronavírus. Temos que entender a gravidade da doença, pois [no Estado] temos números além dos oficiais", declarou Bragato.

"A ideia é que o governo do Estado de São Paulo mapeasse as regiões administrativas. A nossa tem 53 municípios, o que mudaria as decisões. São Paulo é outra realidade e tomar uma decisão pela capital não significa os mesmos efeitos aqui. Cada região é uma realidade e, pela reabertura [do comércio], é necessário trabalhar com todos os cuidados necessários e informação", acrescentou Ed Thomas.

Por fim, o chefe do Executivo reafirmou que a maior preocupação do governo municipal é com vidas e que há de se tomar cuidado para não incorrer na briga entre as esferas de governança. "Queremos encontrar uma solução sem entrar nesta contenda", concluiu.

Além dos já citados, a reunião contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, o vereador Demerson Dias (PSB); o prefeito e a secretária de Saúde de Álvares Machado, na sequência, Roger Gasques (PSDB) e Neide Castilho; e dos presidentes do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista) e da Acipp (Associação Comercial e Empresarial de Presidente Prudente), Vitalino Crellis e Ricardo Anderson Ribeiro, respectivamente.

A reunião teve a presença ainda dos presidentes da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente) e Codepp (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico), pela ordem, Marcelo Fritschy e Marco Goulart; do gerente regional do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), José Carlos Cavalcante; do contador Sérgio Turuta; além de representantes de outros órgãos.

Publicidade
eixosp

Veja também