A efemeridade da vida

EDITORIAL - DA REDAÇÃO

Data 14/05/2020
Horário 04:39

Os reflexos que a pandemia do novo coronavírus trarão à humanidade ainda são uma incógnita. Não faltam previsões catastróficas, especialmente no cenário econômico. Contudo, muitas outras mudanças certamente serão sentidas pela população, grande parte delas transformações comportamentais. E elas podem ter um resultado bastante positivo, no período que podemos chamar de antes e depois da pandemia.

A solidariedade, já tão aflorada no povo brasileiro, com certeza será ainda mais significativa. Com todos sentindo na pele pelo menos alguma privação, o sentimento de amor e o olhar ao próximo serão amplificados. E isso já é possível de ser notado por meio de inúmeras campanhas de doação de alimentos e itens de limpeza e higiene, distribuição de marmitas, entre outras ações solidárias.

Outra mudança que promete ser bastante difundida é o teletrabalho. A iniciativa pública e privada tiveram de se adequar ao home office, e perceberam que este modo de trabalho pode gerar muita economia, tanto financeira quanto de tempo, visto que reduz significativamente o trânsito nas cidades e as horas perdidas no deslocamento entre a casa e o ambiente de trabalho. Sem contar na poluição, que reduz com menos veículos transitando pelas vias.

E o que falar das relações de consumo? Muitos acreditam que as pessoas estarão ainda mais conscientes sobre o que consomem, e farão questão de saber quem produz e como os itens comprados são produzidos. E o restabelecimento da economia dependerá bastante deste modo de pensar, visto que os consumidores conscientes farão questão de comprar produtos do comércio local, do produtor de sua cidade e região, fomentando o desenvolvimento regional.

Outra transformação, desta vez, mais filosófica, diz respeito aos relacionamentos humanos propriamente ditos. Para muitos, esse período serviu para cair definitivamente a ficha do quão impotentes somos frente às adversidades da vida. Resta-nos, portanto, valorizar cada vez mais nossa família, amigos, e a própria vida, diante de toda a sua efemeridade.

Veja também