Alagoas: férias durante o ano todo

Estado atrai turistas com litoral de águas límpidas quase intocado e outras atrações; um paraíso nordestino

TURISMO - DA REDAÇÃO

Data 01/03/2020
Horário 05:55
Divulgação: Belos resorts na orla de Maceió oferecem hospedagem de alto padrão diante de cenário paradisíaco Foto: Divulgação: Belos resorts na orla de Maceió oferecem hospedagem de alto padrão diante de cenário paradisíaco

São mais de 400 km de águas salgadas e doces, envolvendo 230 km de litoral pontilhado de lindas praias adornadas por vastos coqueirais e cerca de 200 km do majestoso Rio São Francisco, que banha as cidades históricas de Piranhas e Penedo. E mais: bonitas lagoas (Mundaú e Manguaba, as mais importantes) e outros rios de menor porte. O clima é eminentemente tropical (a temperatura média é de 28º), e o sol reina soberano o ano inteiro. Alagoas se notabiliza também por sua deliciosa gastronomia, rico folclore e diversificado artesanato, sem esquecer a hospitalidade do seu povo, especialista em receber bem.

Segundo historiadores, a ocupação do território alagoano se deu inicialmente por terra, e o povoamento se processou lentamente, tendo se formado, ainda no século 16, três grupamentos básicos: Penedo, Porto Calvo e Alagoas, atualmente Marechal Deodoro. Quanto a Maceió, a atual capital do Estado, surgiu em meados do século 17, e se desenvolveu ao redor de um antigo engenho de açúcar. O nome Maceió originou-se na denominação dada a um riacho que corria nas proximidades, chamado Maçai-o-k pelos nativos. Foi elevada à categoria de cidade e sede do governo provincial, em 9 de dezembro de 1839, sendo inaugurada a nova capital no dia 16 de dezembro daquele ano, pelo então presidente da Província, Agostinho da Silva Neves. Com o passar dos anos, Alagoas alcançou o seu desenvolvimento, baseando-se na cultura da cana-de-açúcar, que ainda hoje reflete no contexto econômico estadual.

Contudo, outra atividade econômica deu uma nova feição à economia alagoana, nos últimos anos, gerando emprego e renda. Trata-se do turismo. Tudo começou em 1979, com a entrada em operação do Hotel Jatiúca, que provocou o "boom" do turismo em Alagoas. A partir daí, novos hotéis foram construídos para atender a demanda e a capital alagoana se transformou, em pouco tempo, num importante polo turístico nacional, atraindo visitantes de várias regiões do país, notadamente do Sul-Sudeste. Não demorou muito e o nome Maceió atravessou fronteiras, hoje é conhecido internacionalmente. É comum ver na cidade turistas argentinos, italianos (que chegam em voos charters semanais) e de outras nacionalidades. Quanto à hospedagem, Maceió conta com hotéis de uma a cinco estrelas (7.039 leitos), afora pousadas, albergues e apartamentos de aluguel por temporada.

Atualmente, com uma população superior a 700 mil habitantes, Maceió é o lugar ideal para férias revigorantes em qualquer época do ano, especialmente para aqueles que fogem da azáfama do dia-a-dia nas grandes cidades e precisam parar um pouco para um salutar descanso, aproveitando as benesses que a natureza oferece, com tranquilidade e segurança. O forte de Maceió são as praias, urbanizadas e próximas do centro comercial. As mais frequentadas são as de Pajuçara (onde estão os Sete Coqueiros - símbolo da cidade - e uma piscina natural a 2km da costa), Ponta Verde e Jatiúca. Há outras mais afastadas do centro: Cruz das Almas, Jacarecica, Guaxuma, Garça Torta, Riacho Doce, Mirante da Sereia, Pratagy e Ipioca, todas no litoral Norte.

Vida Noturna
Maceió tem vida noturna animada. Uma boa pedida são os restaurantes e bares à beira-mar (boa parte com música ao vivo), cujo cardápio atende a todos os gostos, seja uma comida regional, nacional ou internacional. Para os que preferem restaurantes e bares fora da orla marítima, uma boa pedida são os localizados no bairro Stella Maris, bastante procurados pelos turistas.

Gastronomia
A culinária alagoana é uma das mais saborosas do Brasil. Os peixes e crustáceos encabeçam o cardápio dos restaurantes e bares de Maceió e das cidades turísticas interioranas. Nos estabelecimentos mais sofisticados, como nos mais simples, as comidas seguem o mesmo padrão, e o sabor é incomparável. Lagosta, camarão, sururu, polvo, siri, maçunin, ostra e peixes de vários tipos, além da tradicional carne-de-sol são muito apreciados pelos turistas. Outras atrações da culinária alagoana são os doces e bolos caseiros, deliciosos. Destaque para os bolos de mandioca, beiju, tapioca, suspiros, cocadas, broas, quebra-queixo, puxa-puxa. Quanto às frutas, nada melhor do que sucos ou sorvetes de pitanga, pinha, graviola, umbu, manga, caju, cajá, cruaçá, carambola, acerola, laranja, sem esquecer o delicioso caldo-de-cana, comercializado em vários pontos da cidade.

 

 

 

Veja também