Polícia Militar Ambiental  - Além do corte irregular de árvores, autuações flagraram fogo em espaços de vegetação nativa

Foto: Polícia Militar Ambiental - Além do corte irregular de árvores, autuações flagraram fogo em espaços de vegetação nativa

OPERAÇÃO CORTA FOGO

Ambiental aplica multa de R$ 500 mil em operação

Ocorrências foram registradas em Presidente Bernardes e Panorama ontem; Além de colocar fogo em área irregular, autores danificaram ainda árvores nativas

  • 19/08/2019 18:33
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

A Polícia Militar Ambiental, durante a Operação Corta Fogo, aplicou multas que chegaram a R$ 500 mil na região de Presidente Prudente por causa de incêndios em vegetação e cortes de árvores. No domingo, a primeira ocorrência foi em Presidente Bernardes, em uma área administrada por uma usina sucroalcooleira e o segundo caso em Panorama.

Conforme a corporação, a primeira visita foi em um local em que foi colocado fogo em uma área correspondente a 373 hectares, sendo que foram danificadas 190 árvores nativas isoladas, como ipês e angicos. “Foi notada ainda outra área de reserva legal atingida pelo fogo, correspondendo a 1,38 hectare de qualquer tipo de vegetação nativa, em área de reserva legal, além de 112 árvores isoladas”.

Por isso, conforme a Polícia Militar Ambiental, foram elaborados três Autos de Infração Ambiental: o primeiro por fazer uso de fogo em área agrossilvipastoril, com multa no valor de R$ 373 mil; por danificar 190 arvores nativas isoladas, multa de R$ 85,5 mil e por danificar qualquer tipo de vegetação nativa em área de reserva legal de domínio privado, com multa no valor de R$ 10.350 mil.

Já na ocorrência de Panorama, as equipes da corporação constataram, às margens do Rio Paraná, o corte isolado de 117 árvores nativas. “Após identificar o responsável - um homem de 46 anos - foi lavrado um Auto de Infração Ambiental por explorar qualquer tio de vegetação nativa, correspondente às 117 árvores, mediante corte isolado, localizada fora de área de reserva legal averbada, de domínio privado, sem aprovação do órgão competente”. A sanção foi uma multa no valor de R$ 35,1 mil e foram apreendidos 25 metros cúbicos de lenha nativa.