Publicidade
eixosp

Funcionários se adaptam ao home office

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 29/03/2020
Horário 07:53
Cedida - Para Giancarlo, cumprir oito horas de trabalho em casa é algo novo: “É preciso seguir regras” Foto: Cedida - Para Giancarlo, cumprir oito horas de trabalho em casa é algo novo: “É preciso seguir regras”

Por conta do novo coronavírus, as cidades brasileiras estão parando as atividades. Em Presidente Prudente, desde segunda-feira, o comércio está fechado. Diversas outras empresas têm seguido as recomendações do Ministério e Secretaria Estadual da Saúde e suspendendo atividades presenciais. Diferente dos comércios, que precisam da presença dos clientes, a menos que atendam por delivery, diversas empresas estão mantendo os serviços com funcionários atuando remotamente de suas casas: é o chamado home office.

O coordenador de qualidade e projetos da Unimed (Confederação Nacional das Cooperativas Médicas), Giancarlo Fernando Dumont, 41 anos, iniciou na segunda-feira os trabalhos em casa. Ele afirma que vez ou outra, o cargo o permitia executar algumas atividades de sua residência, mas cumprir todas as oito horas de trabalho em casa é algo novo. “Como 80% dos funcionários estão em home office, meu problema maior é a comunicação”, afirma. Ainda que a comunicação presencial seja mais atrativa, ele salienta que as diversas ferramentas de conferências e conversas online facilitam bastante.

Além disso, Giancarlo afirma que precisa regrar-se para que haja produtividade no trabalho, mesmo o executando no “aconchego do lar”. Ele, que tem filha pequena, já a orientou que só poderão conversar e brincar no fim do expediente. De qualquer forma ainda considera “esquisito” estar a apenas uma porta da família e não poder interagir.

Giancarlo não esquece que precisa seguir regras para manter-se concentrado, mesmo estando em casa, só desempenhará outras atividades nos horários de sua disponibilidade, como horário do almoço e fim do expediente. Ele, para se sentir na empresa, de manhã coloca uma camisa e o seu crachá, mas admite que no calor prudentino prefere, em casa, estar de shorts que a tradicional calça.

Ainda na última semana, a PCI Concursos entrou em quarentena voluntária e a estagiária de comunicação social, Sibeli Santos, iniciou seu home office. Ela também ressalta a importância da comunicação entre os funcionários, e destaca o papel dos grupos de Whatsapp.

Segundo Sibeli, as dificuldades encontradas relacionam-se à adequação. Ela, sem os softwares que possuía no trabalho, sem a mesma estrutura que a ela estava disponível, sentiu diferenças na produtividade, entretanto, ao longo da última semana, foram sendo superadas. “É uma questão de adaptação”, destaca a estudante de Jornalismo.

AUDI ENTRA EM

HOME OFFICE 

Hoje, 100% dos funcionários da agência de publicidade Audi entrou no esquema home office, a exemplo de várias outras empresas de Prudente. De acordo com o responsável pelo planejamento da empresa, Bruno Lopes Rodrigues, 35 anos, a atividade da agência seguirá a mesma, com a utilização de ferramentas remotas.

Bruno afirma que a utilização de um servidor, cujo acesso será disponibilizado aos colaboradores, será fundamental para o momento, visto que todas as informações necessárias à realização do trabalho estarão disponíveis a todos. “A Audi sempre esteve pronta para uma situação como essa, pois segue as normas de qualidade ISO 9001, cujo padrão solicita que a empresa tenha essa estrutura”, explica.

Ainda de acordo com o responsável pelo planejamento, a grande demanda da agência, nesse momento, é comunicar e atender assuntos relacionados ao Covid-19, seja para os clientes que estão realizando delivery, pagamentos online, ou que estão fechados, e claro, unidos aos parceiros na luta pela prevenção.

Veja também