Jessica Chaves soma mais de 100 medalhas na natação

Aos 12 anos de idade, atleta prudentina, que entrou no esporte por influência familiar, compete neste mês no torneio regional em Votuporanga

- THIAGO MORELLO

Data 12/03/2020
Horário 07:09
 Weverson Nascimento - No esporte desde os 5 anos de idade, Jessica integra a equipe Semepp/Colégio Criarte/Pruden-Aço/Apan Foto: Weverson Nascimento - No esporte desde os 5 anos de idade, Jessica integra a equipe Semepp/Colégio Criarte/Pruden-Aço/Apan

Aos 5 anos de idade, ela decidiu entrar para a natação, mas sem tanta pretensão assim. Sete anos depois, já coleciona mais de 100 medalhas de conquistas em campeonatos. Para ser mais exato, 115. Ainda com pouca idade, 12 anos, esse é o histórico da atleta Jessica Chaves, que faz parte da equipe Semepp/Colégio Criarte/Pruden-Aço/Apan de Presidente Prudente. Mesmo nova, ela mostra um currículo invejável e digno de inspiração, e a certeza da vontade de se tornar ainda mais memorável no esporte.

E como mencionado, a história começou ainda lá no berço. Mesmo ainda sem entender ou até mesmo ver, ela conta que o pai foi nadador e quase entrou para um clube grande do país. Uma vez já mais ciente do que era o esporte, com 5 anos de idade, ela confessa que não lembra “muita coisa”, mas lembra sim de vê-lo nadar. “E daí surgiu a inspiração. Eles me influenciaram e eu gostei da ideia”, completa.

“ASSIM COMO MUITOS, EU TENHO MUITA VONTADE DE JOGAR EM UMA OLÍMPIADA, COMPETIR E GANHAR MEDALHAS EM GRANDES TORNEIOS, COMO O MARIA LENK”

Jessica Chaves

E foi na influência que ela viu o talento. Ou melhor, que também viram nela o jeito para a coisa. Nessa idade, Jessica conta que foi quando teve o primeiro contato com o esporte, por meio das escolinhas da Semepp (Secretaria Municipal de Esporte). “Eu comecei a nadar pelo projeto e, na época, minha técnica viu que eu nadava bem e decidiu me colocar para competir. E desde então, a vontade sempre foi de competir. Gostei, queria me inspirar no meu pai e cheguei até aqui”, comenta.

TREINOS E

AMBIÇÕES

Mas para Jessica, “o chegar até aqui” ainda não é o suficiente. Mesmo já com um histórico grande de conquistas, principalmente para a idade, ela revela sonhos. “Assim como muitos, eu tenho muita vontade de jogar em uma Olímpiadas, competir e ganhar medalhas em grandes torneios, como o Maria Lenk”, destaca. Para isso, a atleta treina pelo menos quatro horas diariamente, e se inspira em referências, como as nadadoras Etiene Medeiros e Gabrielle Roncato.

Porém, isso não quer dizer que ela não seja feliz e não destaque vitórias que teve até aqui. Para falar a verdade, à reportagem, a nadadora destaca duas conquistas, em específico, garantidas no ano passado: “a Travessia do Rio Paraná, no qual fiquei em 3º na categoria, petiz 2. E ainda fiquei em nono entre os melhores do Estado”.

E para 2020 também, o foco está no Paulista e no Brasileiro, que ocorrem no meio do ano. “Estamos treinando bem e tenho um tempo que pode sim me garantir medalha. Estou focada em melhorar”, se compromete Jessica. Antes disso, em março ainda, ela compete pelo Torneio Regional de Natação, em Votuporanga (SP).

 

 

 

Veja também