João “Estraga Prazer” X  José “Em busca do Prazer”

Persio Isaac

COLUNA - Persio Isaac

Data 16/02/2020
Horário 05:55

Lembrei de uma história muito engraçada vivida por dois grandes amigos. Logicamente vou ter que omitir os nomes verdadeiros desses reais personagens. Por isso, dei dois codinomes que é o título dessa crônica. Primeiro vou descrever o perfil de cada um desses amigos: João “Estraga Prazer”, prudentino da gema, estudava Administração Rural na conceituada Faculdade Getúlio Vargas na cidade de São Paulo. Primeiro curso no Brasil sobre esse segmento tão importante para nosso país. Pasmem, os amigos e amigas, João não sabia distinguir uma vaca de um boi.

Mas, então o que ele estava fazendo nesse curso? Boa pergunta. Eu prefiro recorrer a uma frase misteriosa da missa para tentar explicar essa enigmática pergunta: Quando o padre ao som do sininho, sob a fumaça perfumada do incenso, diz aos fiéis: “Eis o mistério da fé”. Realmente esse mistério permanece até os dias de hoje. Acredito que permanecerá para a eternidade.

João convivia com famílias milionárias nesse badalado curso. Gostava do glamour desse ambiente surreal para os padrões financeiros de João. O desprovido de riqueza material adora falar que é amigo do rico né.

Sem ser politicamente correto, o rico nunca fala que é amigo do pobre. É sempre assim. Se orgulhava do seu corcel branco de tala larga, volante pequeno, deixando o carro mais esportivo para lembrar um Fórmula 1. A manobra era difícil, mas o playboy prudentino da Rua Augusta, como ele próprio se intitulava, adorava. Seu pai era um comerciante de carros.

Quase sempre estava com um carro diferente. Quem não conhecia o João achava que ele era milionário, pois quando vinha para a nossa aldeia sagrada, cada dia andava com um carro diferente. Falemos agora de José “Em busca do prazer”: José era também um prudentino da gema. Cursava Medicina no Rio de Janeiro. Filho de família tradicional. Seu pai era um pecuarista bem-sucedido. Tão bem-sucedido que ele tinha nada mais, nada menos, que um carro Puma GTB branco, um ícone do carro esportivo, que até os dias de hoje permanece no imaginário de quem gosta de carros esportivos.

Traçando resumidamente o perfil socioeconômico desses nossos personagens vamos ao fato em si: Entra nessa verídica história uma mulher deslumbrante de nome Maíla. Exageradamente sensual, um porta-avião de desejos, linda ao cubo e tinha a fama de levar os homens até a Bica D’Água e eles sempre voltavam com sede, como diz o ditado popular. Muito esperta e sabia usar a sua sensualidade. Numa das brincadeiras dançantes da APEA o fato aconteceu. Ao som dos lendários Sombras, na voz do imortal Pelezinho, José estava “Catituando" um papo aranha com a desejada Musa. Sentia, como todo iludido, que ela estava entrando no papo dele. Pensou: Agora é só levar ela na “Pumeta” GTR que o abate será feito. Ledo engano.

José “Em busca do Prazer” não contava com a intromissão inesperada de João “Estraga Prazer”. Chegou de surpresa entrando rapidamente na conversa, fazendo graça, e ele tinha esse dom de ser divertido e engraçado, começou a desviar o foco da musa. Numa vacilada monstro, José resolve ir ao banheiro. Santa inocência. João aproveitou essa vacilada e convidou a musa a dar uma volta no “Seu” Oldsmobile Cutlass vermelho. Baita mentira. O coitado do seu pai tinha comprado esse icônico carro e precisava vender urgente. Quando José sai do banheiro não vê a musa e muito menos João, diz: FDP. Sai correndo, desce as escadas da Prudentina mais rápido que o Papa Léguas, personagem do desenho animado, e vê o canalha do “Estraga Prazer” saindo com a musa naquele carro. Inconformado, apela gritando: “ESSE CARRO NÃO É DELE, É DO PAI DELE, O MEU É MEU, TÁ PAGO". Apelou grande. “Estraga Prazer” vendo e ouvindo os berros de José rapidamente fecha os vidros e com uma risadinha cínica acelera o potente motor do Oldsmobile Cutlass Vermelho.

Mas, que covarde, diz José. Não satisfeito, “Em busca do Prazer” corre até o seu Puma GTR e sai cantando os pneus no encalço do amigo, lembrando da frase do amigo Nenê: “Irmão quando briga com irmão, amigo quando briga com amigo pode ter certeza que tem mulher no meio”. Gênio esse Nenê. Ele nota que o “Estraga Prazer” pega a estrada. Que lazarento. A musa não morava em Prudente. O “Estraga” querendo impressionar a musa pisa fundo no motor V8 de mais de 300 CV. E o inconformado José dando tudo no seu Puma GTR. O “Estraga Prazer” encosta o carro na casa da musa. Alguns minutos depois o “Em Busca do Prazer” para ao lado do “Estraga”. Os dois se olham com expressão de predadores, mas essa sensação cai por terra quando a musa lhes fala: “Vocês são muito bonzinhos e gentis, obrigada pela carona”.  Entra na sua casa frustrando os dois amigos que olham um para o outro com cara de otários. “FORAM ATÉ A BICA D’ÁGUA E VOLTARAM COM SEDE”. Vejam vocês.

 

 

Veja também