Última etapa do Diversonorilive inicia nesta quarta pelo YouTube

Até o dia 27, a partir das 20h, público pode conferir gratuitamente shows de artistas da região, acessando o canal oficial do Som na Linha 

VARIEDADES - DA REDAÇÃO

Data 22/09/2021
Horário 07:44
Foto: Bruno Rós GK Estúdios - Gabriel Aps
1ª atração: Just a Dogfight traz influências do grunge e rock alternativo do final dos anos 1980 e 1990, com letras que falam sobre o cotidiano
1ª atração: Just a Dogfight traz influências do grunge e rock alternativo do final dos anos 1980 e 1990, com letras que falam sobre o cotidiano

De hoje até o dia 27 de setembro, o coletivo cultural Som na Linha transmite através de seu canal no YouTube, a quarta e última etapa do Diversonorilive, festival de música autoral que reúne bandas, grupos e artistas independentes da cena musical regional. As apresentações serão transmitidas ao vivo, diretamente do Instituto Jam Music, de quarta a terça-feira, sempre a partir das 20h.
O projeto é a versão em formato online, adaptada aos tempos pandêmicos, do primeiro festival independente e colaborativo de música autoral do oeste paulista, o Diversonoridade, realizado desde 2019 em Presidente Prudente pelo coletivo Som na Linha, em parceria com artistas e produtores de cultura da cidade. Antes da pandemia, o festival era realizado em praça pública, com acesso gratuito ao público a todas as atividades, que agregavam não só os shows musicais, mas também oficinas de skate, feira da economia solidária, exposições artísticas e fotográficas, muralismo ao vivo, entre outras experiências e imersões artísticas que se renovavam a cada edição.
Rafael Costa, músico e produtor cultural, fundador do Som na Linha e um dos organizadores do festival, conta que a iniciativa nasceu da necessidade de fortalecer a cena da música autoral na região, para ajudar a criar um circuito para essas bandas, grupos e artistas que geralmente esbarram na falta de espaço. “O que sempre propusemos foi a criação de uma cena cultural independente, promovendo o acesso à arte por todos os cantos e ajudando a fomentar os e as artistas que se dedicam à produção autoral, além de criar junto ao público uma cultura de apreciação pelo novo”, afirma.

Uma renda emergencial

Além de democratizar o acesso à arte e atestar a diversidade e qualidade da música autoral do oeste paulista, o festival Diversonorilive, realizado com recursos da lei emergencial da cultura Aldir Blanc (Nº 14.017), cumpre ainda o objetivo de garantir uma renda emergencial a trabalhadores da cultura local, uma das classes mais impactadas pelos efeitos da pandemia de Covid-19. Contando com a quarta edição, o projeto viabilizou a realização de um total de 24 apresentações de artistas, bandas e grupos da região, representando diferentes estilos musicais, todas compartilhadas gratuitamente com o público, e remunerando quase uma centena de profissionais, entre músicos e musicistas, técnicos de som e luz, fotógrafos, produtores, designers e assessores de comunicação. 

“O QUE SEMPRE PROPUSEMOS FOI A CRIAÇÃO DE UMA CENA CULTURAL INDEPENDENTE, PROMOVENDO O ACESSO À ARTE POR TODOS OS CANTOS E AJUDANDO A FOMENTAR OS E AS ARTISTAS QUE SE DEDICAM À PRODUÇÃO AUTORAL, ALÉM DE CRIAR JUNTO AO PÚBLICO UMA CULTURA DE APRECIAÇÃO PELO NOVO”
Rafael Costa

Rafael destaca a relevância do projeto por contemplar uma série de artistas e grupos que não conseguiram acessar os recursos do edital separadamente, seja por não terem sido selecionados, ou mesmo pela falta de condições de chegar a se inscrever. “Para muitos profissionais, o festival foi o único palco, única fonte de remuneração vinda da música durante esse período de pandemia, dada a escassez de políticas públicas na área da cultura e a falta de sensibilidade, de forma geral, dos processos seletivos na hora de distribuir esse recurso”. 
Além disso, segundo o produtor cultural, o festival tem sua importância por ser uma das poucas iniciativas de contracultura, um espaço para artistas que são marginalizados, seja por suas escolhas estéticas, classe social, sexualidade, entre outros.
Nesta quarta e última edição, apresentam-se os grupos Just a Dogfight (22/09), Coletivo Sirius (23/09), Afrodeus (24/09), Filhos da Ciça (25/09), Impius (26/09) e Casos (27/09).

SERVIÇO
Festival Diversonorilive - 4ª etapa
Data: de 22 a 27 de setembro 
Horário: a partir das 20h, ao vivo pelo canal do YouTube Som na Linha
(www.youtube.com/somnalinha)

Divulgação 

QUINTA-FEIRA 23/09/2021 - 20H - COLETIVO SIRIUS
O coletivo Sirius foi criado em 2019, a partir da união de grupos de rap, DJs, poetas e beatmakers de Prudente e região. Atualmente, o coletivo agrega artistas de diferentes estilos que integram o movimento underground, unindo a velha escola do rap nacional à nova escola do rap nacional e ao hip hop internacional, passando pelo funk e trap. Hoje a Sirius é formada pelos integrantes Jhow PAV, Kinha PAV, Pharaoh Beats e Amon Mc. 

Murilo Souza

SEXTA-FEIRA 24/09/2021 - 20H - AFRODEUS
“Filhos do Sol com Dandara, moleques pretos, pobres, bichas e vyados. Todos vindo de lugar nenhum em busca de lugar algum”. Afrodeus retorna com “MLKS pretos de lugar nenhum”, seu show de rap e poesia remoto, contando sua história, que também é história de muitos outros. Com composições autorais, a raiva, a angústia e a luta para se manter vivo tomam forma de protesto musical, protesto preto. 

Gasalucinação

SÁBADO 25/09/2021 - 20H - FILHOS DA CIÇA
Há pouco mais de dois anos, Zé Roberto Barbosa (guitarra e voz), Robson Soares (baixo e voz) e Guilherme Sala (bateria) juntaram-se formando a Filhos da Ciça, um power trio que explora e ressignifica a sonoridade de suas influências e formações musicais, através de interpretações e composições autorais. Desde então, a banda já participou de diversos movimentos de música autoral independente em sua cidade natal, Prudente. Em 2019, no Sesc Thermas, o trio lançou seu primeiro EP de estúdio, “Quero Fugir”, totalmente autoral.

Luna Pessoa

DOMINGO 26/09/2021 - 20H - IMPIUS
Formado em 2018, o projeto Impius nasceu do desejo de expressar sentimentos da forma mais sincera possível, a música. Idealizado por Luna Pessoa, contou com diferentes formações entre amigos ao longo de sua trajetória, e reflete essa interação, cantando sobre sentimentos, experiências e histórias pessoais de seus integrantes. A formação atual conta com Luna no vocal principal e guitarra, Carol Guidio no baixo e Pedro Silva na bateria e nos vocais de apoio.  A banda, que preza por sua identidade autoral, lançou em 2021 o EP “Vozes”, disponível no Spotify e YouTube. 

Infravermelho Estúdio

TERÇA-FEIRA 27/09/2021 - 20H - CASOS
K-ZUZ, que já conta com alguns anos de estrada, agora é Casos. Mas além da grafia do nome, nada mais foi alterado em questão de objetivos, realizações e emoções. Continuam com o lema de que o rock não é só um gênero musical, mas sim um modo de viver e estar. Navegando na calmaria e na agitação desse imenso mar musical, com o nome escrito "in natura", Casos vem simples, mas não menos forte e intricada.

Veja também