Agronegócio se mobiliza na luta contra o coronavírus

Contexto Paulista

COLUNA - Contexto Paulista

Data 29/04/2020
Horário 08:39

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado anunciou o engajamento do segmento de agronegócio de São Paulo para auxiliar no enfrentamento da doença Covid-9. Além de ações relacionadas ao abastecimento da população, o setor atua também para realizar o diagnóstico da enfermidade e discutir junto a associações e especialistas o uso de EPIs (equipamentos de proteção individual) durante a pandemia. Técnicos e pesquisadores da pasta com formação em Biologia, Biomedicina e Medicina Veterinária se cadastraram no Ministério da Saúde para atuar no combate ao coronavírus, caso seja necessário.

Doação de álcool
A produção e disponibilização de 250 mil litros de álcool 70 à população é outra ação destacada em relação ao setor privado. O álcool do grupo São Martinho foi processado e envazado na fábrica da Natura em São Paulo; foram 50 mil litros distribuídos em embalagens de 750 ml. Além disso, a marca Coperalcool também doou 50 mil frascos de álcool em gel para instituições de segurança pública do Estado como a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Científica e Corpo de Bombeiros.

Frase
“Desde o início da pandemia, temos trabalhado de forma integrada com todas as frentes da Secretaria de Agricultura, colocando à disposição toda a tecnologia e corpo técnico capacitado que atua nos institutos de pesquisa, na extensão rural, no abastecimento e na defesa agropecuária para contribuir na minoração dos problemas de abastecimento de alimentos, na saúde e no bem-estar da população” - secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira.

Diagnóstico
A infraestrutura e a expertise do Instituto Biológico na área de diagnóstico de viroses em animais de produção permitiram que a instituição recebesse avaliação satisfatória do Instituto Adolfo Lutz para diagnóstico da Covid-19. O Laboratório de Viroses de Bovídeos do Instituto, que possui instalação de Biossegurança Nível 3 (NB3), iniciará o atendimento após adequação e recebimento de insumos e EPIs. Na área de equipamentos de proteção individual, a expertise do Instituto Agronômico para aplicação de defensivos agrícolas também tem auxiliado entendimentos com a Animaseg (Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho). O CEA-IAC (Centro de Engenharia e Automação) tem auxiliado na revisão de nota técnica para orientações para serviços de saúde, com medidas de prevenção e controle que devem ser adotadas durante assistência a casos suspeitos da enfermidade no que se refere aos EPIs.

Vestimentas
O CEA/IAC tem atuado na revisão de texto geral e elaboração de respostas relacionadas à fabricação e aquisição de vestimentas que possuam repelência a líquidos ou impermeáveis similares àquelas utilizadas para proteção contra agentes químicos. Outra ação é a elaboração de um manual explicativo para profissionais de saúde para que possam entender a equivalência entre os equipamentos que utilizam e o que pode ser utilizado. O órgão é referência no Brasil e no exterior em trabalhos científicos relacionados a vestimentas de proteção para aplicação de defensivos agrícolas.

Veterinários
Os laboratórios de prestação de serviços do IAC, como análise de solos, resíduos, microbiologia, diagnóstico de doenças e a produção de sementes genéticas continuam em atividade, atendendo aos produtores. Os profissionais que atuam na Secretaria de Agricultura também estão mobilizados para auxiliar o Ministério da Saúde, caso seja necessária atuação durante a pandemia. O Ministério tem o objetivo de cadastrar e capacitar nos protocolos clínicos da doença cerca de cinco milhões de profissionais de saúde de 14 categorias, como biologia, biomedicina e medicina veterinária. O reforço é para auxiliar os gestores do SUS (Sistema Único de Saúde) nas ações de enfrentamento da Covid-19 a partir da capacidade de trabalho. O médico veterinário e pesquisador do Instituto de Zootecnia Jackson Barros do Amaral foi um dos profissionais a se cadastrar na plataforma do Ministério da Saúde. Amaral atua desde 1994 no IZ, na área de sanidade animal.

Pagamento automático
Um exemplo no setor privado é a parceria entre o governo paulista e as empresas Conectcar, Sem Parar e Veloe para a distribuição gratuita sem taxa de adesão ou de mensalidade de 25.850 adesivos eletrônicos (tags) para o pagamento de pedágios nas rodovias do Estado. Ao utilizar as tags nas cabines automáticas, motoristas e funcionários eliminam o risco de contágio pelo coronavírus e agilizam o deslocamento pelas rodovias, principalmente dos caminhoneiros, principal público da ação. Neste período de quarentena, 64% dos pagamentos de pedágio nas rodovias paulistas estão sendo feitos nas cabines automáticas, o que elimina o contato. O governo do Estado também criou um site (www.abastecimentoseguro.sp.gov.br) com as informações sobre as estradas para os caminhoneiros.

 

Veja também