Após período crítico da pandemia, agências de viagens começam a recuperar vendas

Cenário positivo deste 2º semestre ocorre em razão do avanço da vacinação contra a Covid; região nordeste do Brasil tem sido a principal escolha dos clientes de Prudente e região

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 30/09/2021
Horário 06:15
Foto: Azul Viagens Presidente Prudente
Região nordeste do Brasil é a principal escolha dos clientes
Região nordeste do Brasil é a principal escolha dos clientes

Passado o período mais crítico da pandemia do novo coronavírus, as agências de viagens de Presidente Prudente já sentem uma recuperação do setor. O cenário positivo deste segundo semestre ocorre em razão da vacinação avançada contra a doença, que tem deixado os passageiros mais confiantes em relação aos destinos escolhidos. 
A proprietária da First Turismo, Franciane Reis Erbella Casari, explica que o atual semestre é positivo se comparado com o do ano passado, uma vez que as pessoas estão vivendo com mais “normalidade”, mesmo sendo necessária uma preocupação com a segurança e higiene. Tal recuperação, segundo ela, é sentida diante da procura por destinos turísticos e, consequentemente, do maior número de vendas. Em um comparativo, ela destaca que agosto de 2021 já registrou duas vezes mais vendas do que o mesmo período em 2020. “Hoje, a vacina trouxe a segurança de que é possível viajar. Além disso, trabalhamos com hotéis que estão dentro dos padrões da vigilância sanitária”, explica. “Não tenho casos de clientes que foram viajar e voltaram doentes ou que ficaram doentes durante a viagem”, acrescenta. 
O gerente geral da Azul Viagens Presidente Prudente, Everton Paulo Dias, por sua vez, destaca que o segundo semestre de 2021 já está sendo melhor do que o mesmo período em 2019, que é um ano pré-pandemia. Tal cenário favorável só ocorre, segundo ele, porque o setor vem há mais de um ano se programando para uma retomada segura, além de contar com o avanço da vacinação contra o novo coronavírus. “Hoje, os protocolos de segurança deixam os passageiros tranquilos e seguros em aeroportos, aviões e hotéis. Contudo, os cuidados que temos em casa devem ser reproduzidos nos destinos escolhidos”, detalha.
O proprietário da Welinghtour Viagens e Turismo, Welinghton Cordeiro, acrescenta que, atualmente, com a situação quase “sob controle”, tem percebido uma maior procura por viagens, principalmente para a região nordeste do Brasil. Na agência, inclusive, o semestre atual tem 40% a mais de vendas se comparado ao mesmo em 2020. No entanto, reforça que ainda é necessário seguir os protocolos sanitários, uma vez que um grande número de pessoas também procura pelos mesmos destinos. “Sentimos que a procura por viagens está aumentando a cada dia que passa. As pessoas estão sentindo mais firmeza em sair de casa e procurar por outros destinos”, enfatiza. 

Principais destinos

Para as três agências de turismo, atualmente há dois cenários de procura por viagens. Há aqueles que buscam por viagens para este fim de ano e outros que se programaram para o primeiro semestre de 2022. “Temos procura por viagens ainda para este ano, mas a grande maioria já está se programando para o primeiro semestre de 2022”, detalha Franciane Reis. Na First Turismo, por exemplo, os clientes têm buscado pelo nordeste brasileiro em razão das praias, mas tem quem procure pelo clima típico de inverno do sul do país, como em Gramado, no Rio Grande do Sul.
Na Azul Viagens Presidente Prudente, devido à facilidade dos voos diretos, Porto Seguro (BA) e Maceió (AL) acabam sendo os destinos mais procurados, explica o gerente da unidade. Ele também adianta que a empresa vai ofertar voo direto para Natal (RN) nos meses de dezembro e janeiro, uma vez que a maior procura tem ocorrido para o período de férias. “Natal [RN] sempre foi um destino campeão de vendas e os voos diretos facilitam muito”, reforça.
A procura pelas praias da região norte do país também está aquecida na Welinghtour Turismo. Esses destinos são procurados, segundo o proprietário da agência, por pessoas que já estão imunizadas e se sentem seguras em viajar. Para ele, existem pessoas que preferem viajar do final de outubro até o dia 10 de dezembro, porque não gostam de aglomeração, independentemente da pandemia. Outras já preferem passar o Natal e réveillon em casa com a família e viajar no começo de janeiro. 

Entraves do setor

Com as fronteiras internacionais fechadas e o turismo brasileiro mais “regrado” frente à pandemia, o setor foi impactado de diversas formas ao longo de 2020 e início de 2021. A proprietária da First Turismo, por exemplo, explica que além de ficar um ano e meio paralisado, o setor encontrou diversos problemas, que, inclusive, ainda estão sendo solucionados, como a remarcação de viagens, bilhetes expirados e entraves com companhias aéreas. 
O gerente geral da Azul Viagens Presidente Prudente, Everton Paulo Dias, por sua vez, acrescenta que o setor de turismo já é impactado por algumas situações adversas como, por exemplo, fenômenos da natureza  e o impacto do dólar e outras moedas. No entanto, com a pandemia, os aeroportos e hotéis dos principais destinos precisaram fechar as portas ao público, e o setor precisou se reinventar. “Nós lançamos um produto chamado ‘Bilhete de Viagens’, que poderá ser usado quando o setor entrar em normalidade”.
O que também prejudicou o setor, segundo o proprietário da Welinghtour Turismo, Welinghton Cordeiro, foi o isolamento social (lockdown), que “forçou o comércio prestador de serviços a ficar totalmente fechado”. “O comércio de uma forma geral teve uma reabertura mais rápida. Já para nós, prestadores de serviços, tudo está avançando mais devagar, porque ainda existem pessoas que não se imunizaram contra a doença”. 

Veja também