Associação de Apoio ao Paciente Renal Crônico oferece tratamento humanizado em Prudente

“A mobilização nasceu apenas com a necessidade de acolhimento na luta pelo resgate da cidadania, dignidade e qualidade de vida dos pacientes renais”, salienta ela. E foi assim, sem pretensão

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 25/10/2020
Horário 04:16
Há um ano, o Carim realiza atendimentos ambulatoriais com especialidades na prevenção e tratamento da doença renal
Há um ano, o Carim realiza atendimentos ambulatoriais com especialidades na prevenção e tratamento da doença renal

Aos poucos, a dentista Sumaia Zahra Zakir conseguiu organizar em Presidente Prudente um grupo, primeiramente com amigos mais próximos, para que aprendessem a cuidar tanto dos pacientes como de seus familiares. “A mobilização nasceu apenas com a necessidade de acolhimento na luta pelo resgate da cidadania, dignidade e qualidade de vida dos pacientes renais”, salienta ela. E foi assim, sem pretensão, que nasceu o Carim - Associação de Apoio ao Paciente Renal Crônico e Transplantado.

Após acompanhar a árdua trajetória de seu pai nas sessões de hemodiálise e, ao observar um ambiente pouco acolhedor diante da exaustiva rotina de tratamento, a dentista viu a necessidade de dialogar com familiares dos pacientes a fim de fazer o tempo passar mais rápido e trazer acalento naqueles momentos.

Foi em um, dentre tantos dias, que Sumaia teve a ideia de incluir artesanatos para que aquelas quatro horas, três vezes por semana, pudessem ser mais leves, assim como a troca de alimentos, já que muitos pacientes vinham de diferentes cidades da região oeste do Estado de São Paulo. “Também constatei que havia muita falta de informação sobre a doença renal crônica, por isso, busquei encontrar possibilidades que melhorassem a dignidade daquelas famílias”, relata Sumaia.

O atual presidente da entidade, Cássio Tuboni, explica que o Carim realiza um trabalho humanizado em Prudente, ofertando tanto condições de apoio aos pacientes que, diante do tratamento exaustivo em dias alternados na semana, ficam impossibilitados de trabalhar, como também, disponibiliza atendimento médico em sua sede ou em domicílio, gratuitamente.

 

Milhares de benefícios

Hoje, a entidade assiste em torno de 150 pacientes e familiares e, desde sua fundação, passaram pelo Carim mais de 3.000 atendimentos diretos ou indiretos. “Além do dinheiro que é repassado pelo governo municipal anualmente, para que consigamos prestar atendimento, unimos forças com o apoio de empresas e sociedade civil, por isso, frequentemente, realizamos diversas campanhas para angariar fundos”, salienta Tuboni.

Dentre as principais ações estão: campanhas; apoio aos pacientes em situação de vulnerabilidade econômica e social com auxílio de cestas básicas e vestimentas, ajuda com medicamentos quando não são encontrados na Rede de Saúde, custeio de exames, dentre outros. “Há um ano, o Carim vem realizando atendimentos ambulatoriais com especialidades na prevenção e tratamento da doença renal. Além disso, também oferecemos oficinas de artesanato como uma distração no dia a dia”, ressalta Cássio Tuboni.

Há sete anos se dedicando ao Carim, a assistente social, Elaine Oliveira, explica que ao procurar a entidade, o primeiro passo do paciente é passar por uma triagem cadastral para solicitação da carteirinha do renal crônico, conforme a Lei Municipal nº 8.191/2013. “Realizo uma avaliação social que estará integrada com a escuta, orientação sobre os serviços prestados pela entidade e encaminhamento, quando necessário, para outros serviços ofertados pela rede do município, viabilizando os direitos sociais do paciente”, detalha.

Segundo Elaine, o acolhimento para uma ferramenta de intervenção da equipe multidisciplinar não se restringe em um único momento, pois perpassa a todos os atendimentos, a fim de compreender este paciente/familiar, bem como, conhecer suas diversidades e peculiaridades. “Sempre buscamos oferecer um bom atendimento qualificado e humanizado, pois isso faz com que o paciente tenha maior confiança, criando um vínculo entre paciente, família e os profissionais voluntários”, destaca a assistente social.

 

Atendimento especializado

Após avaliação social, o paciente é encaminhado para atendimento com nutricionista, psicóloga, fisioterapeuta e, se preciso, à enfermeira, que irá avaliar a necessidade de encaminhá-lo para o cardiologista, endocrinologista e nefrologista. “Lembrando que o paciente em tratamento de hemodiálise tem seu médico de referência na diálise, dessa forma, ele será atendido na entidade com o cardiologista e o endocrinologista. O atendimento com o nefrologista é restrito para pacientes atendidos em campanhas de prevenção”, explica a assistente social.

Atendida no Carim em 2019, a paciente Andreia Cristina dos Santos, 38 anos, diz que as oficinas de artesanato foram fundamentais em seu tratamento contra a depressão. “Quando fui acolhida pelo Carim, me senti extremamente grata e feliz, pois encontrei na entidade mais do que ótimos profissionais, encontrei amigos com quem pude e posso confiar”, agradece. (Colaborou: Francinara Nepomuceno)

 

CONTATO

 

Telefone: (18) 3917-3684

E-mail: carimprudente@yahoo.com.br

Endereço: Rua Othmar Bohac, 41, Jardim Esplanada, Presidente Prudente

Facebook: Carim - Associação de Apoio ao Paciente Renal Crônico

Instagram: @carimprudente

Site: www.carimprudente.com.br

 

AJUDE

Depósito na conta da entidade:

Banco Caixa Econômica Federal

Agência:4114
Conta: 003/00000327-7

 

Sumaia Zahra Zakir, idealizadora do Carim

 

Cássio Tuboni, presidente do Carim

 

A assistente social Elaine Oliveira: sete anos se dedicando ao Carim

 

Oficinas de artesanato ajudam no tratamento contra a depressão

Veja também