Câmara rejeita destinação de R$ 1 milhão para Prudente Urbano

Prefeitura diz que vai definir quais providências serão tomadas, enquanto sindicato ameaça nova greve se salários não forem pagos até sexta

Foto: Arquivo
Valor seria utilizado para pagamento dos salários dos funcionários da empresa
Valor seria utilizado para pagamento dos salários dos funcionários da empresa

A Câmara Municipal de Presidente Prudente rejeitou que a Prefeitura colocasse R$ 1 milhão na empresa concessionária do transporte público, a Prudente Urbano. Três projetos sobre o mesmo assunto foram enviados pelo prefeito Ed Thomas (PSB) à apreciação dos vereadores em sessão extraordinária na tarde de hoje, sendo que, dos 13, dois estiveram ausentes. Como restaram 11, seriam necessários seis votos pela aprovação e apenas cinco foram favoráveis.

Em nota, a Prefeitura informou que o prefeito Ed Thomas reunirá a equipe técnica - formada pelas secretarias de Mobilidade Urbana, Finanças e Assuntos Jurídicos - para definir quais providências serão tomadas diante da rejeição ao projeto de lei, de forma a honrar o compromisso assumido com os funcionários da concessionária de transporte coletivo.

Em contrapartida, o Sintrattepp (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres de Presidente Prudente e Região) alertou que, se até o fim da noite de sexta-feira, o salário não estiver na conta dos trabalhadores, uma nova greve será deflagrada na manhã de sábado.

Votação

Em votação nominal, com a rejeição do primeiro projeto apreciado, os outros dois foram inviabilizados. Votaram favoráveis: Enio Luiz Tenório Perrone (DEM); Joana D'arc Patrício do Nascimento (PSB); João Barbosa Ferreira, Joãozinho da Saúde (DEM); José Alves da Silva Junior, Professor Negativo (Podemos); e Miriam Brandão Ribeiro (Patriota). Os votos contrários partiram de Douglas Kato Pauluzi (PTB); Mauro Marques das Neves (Podemos); Tiago Santos de Oliveira (PTB); e William César Leite (MDB). O vereador Ivan Itamar da Silva (PSB) se absteve de votar.

Estiveram ausentes da sessão Nathalia Barbosa Gonzaga da Santa Cruz (PSDB), sem justificativa; e Wellington de Souza Neves, Wellington Bozo (MDB), em viagem oficial à região metropolitana de São Paulo.

De acordo com o texto do Executivo, os valores repassados seriam utilizados “exclusivamente para o pagamento de verbas trabalhistas dos funcionários da concessionária para continuidade da prestação de serviços de transporte coletivo”.

Veja também