Capitão Mayara no comando do Águia PM

Exemplo de coragem, oficial venceslauense foi primeira mulher da região a pilotar a aeronave militar

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 29/07/2020
Horário 04:31
Weverson Nascimento - “Não desista dos seus sonhos”, ensina a capitão-PM Mayara Foto: Weverson Nascimento - “Não desista dos seus sonhos”, ensina a capitão-PM Mayara

A vocação na Polícia Militar surgiu pela influência do pai, em meados de 2005. Foi na Academia do Barro Branco que a venceslauense Mayara Tanaka de Moraes deu os primeiros passos na carreira que escolheu ainda jovem, que possibilitou a formação de oficial militar. Mas, o que ela não imaginava é que a decisão tomada naquela época a tornaria exemplo de coragem para as mulheres que sonham em entrar e crescer dentro da corporação.

Atualmente, a capitão-PM Mayara atua como comandante interina da base de Radiopatrulha Aérea, em Presidente Prudente. Na região oeste do Estado, ela foi a primeira mulher a comandar uma aeronave Águia na história da Polícia Militar. Em nível estadual, a comandante foi a segunda, sendo a primeira a capitão-PM Lara Palhiari Duarte, que ingressou no curso de capacitação um ano antes que Mayara. 

“Quando eu já era oficial e atuava nas viaturas, tive a oportunidade de conhecer o trabalho do Águia, porque eles apoiavam em algumas ocorrências onde estava participando”, lembra a comandante, que até então não tinha contato algum com a aviação. “Ainda não existia nenhuma mulher na unidade, mas o concurso [interno] era aberto para mulheres também, então, resolvi prestar”.

A partir desta etapa e antes da aprovação para iniciar a formação, prestou provas teórica, psicológica, física, e entrevista com comandantes. 

A capacitação completa levou cinco anos – período em que se dedicou a aprender cada vez mais. “A partir do momento que começa a formação, o oficial já trabalha como copiloto, vai acumulando horas, adquirindo experiência até conseguir se tornar piloto”, explica. São no mínimo 500 horas de experiência para estar no comando do Águia da PM, além do curso de voo avançado e o aval dado por uma equipe interna. 

São no mínimo 500 horas de experiência para estar no comando do Águia da PM

Águia PM

"É um sistema de aprendizado"

Até a vinda para trabalhar em Prudente, no final de 2015, Mayara passou por diversos desafios, mas que serviram como exemplo para persistir em seus objetivos. “O começo é difícil, porque a aviação é um mundo diferente, tem suas peculiaridades porque exige bastante dedicação, prática, paciência e controle emocional”, salienta. “É um sistema de aprendizado, tudo é contínuo. A gente começa do zero até ir adquirindo experiência e conseguir fazer as manobras mais exigidas da unidade, que são bem específicas”.

Combate a incêndios, salvamentos aquáticos e em matas, resgate e transporte de vítimas a hospitais, auxílio em ocorrências de policiamento terrestre são alguns dos desafios enfrentados pelo policial que atua no helicóptero militar. “Quem tem um sonho, primeiramente tem que se dedicar e não desistir”, orienta Mayara. “Para quem tem a vontade de ser oficial ou piloto, que se empenhe bastante, porque não é impossível, basta só ter trabalho e dedicação juntos para conseguir o objetivo”. 

Capitão Mayara

SAIBA MAIS

Águia PM soma 4.256 missões na região de PP

Helicóptero Águia participa de 306 missões na região

Veja também