Cirsop recebe Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

Reunião na tarde de ontem apresentou o documento que norteará a situação de 10 municípios participantes e que buscam agora implantar o projeto

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 30/09/2020
Horário 08:14
Marcos Sanches - Entrega do plano ocorreu na tarde de ontem, em Prudente Marcos Sanches - Entrega do plano ocorreu na tarde de ontem, em Prudente Imagem: Marcos Sanches - Entrega do plano ocorreu na tarde de ontem, em Prudente

Ocorreu na tarde de ontem, em Presidente Prudente, a entrega do Plano Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos ao Cirsop (Conselho Intermunicipal de Resíduos Sólidos do Oeste Paulista). O texto-base, que envolve 10 municípios participantes, entra agora em situação de consulta pública, quando poderá ser melhorado com críticas e sugestões, para, em seguida, passar por uma consulta pública que o valide, o que deixará o plano apto para a futura implantação. “Qualquer lixo a céu aberto traz comprometimentos ao meio ambiente em diversas magnitudes. Os benefícios do projeto na questão dos resíduos são imensuráveis ao meio ambiente e também no aspecto social”, aponta o diretor-executivo do consórcio, Mateus Martins Godoi.
O projeto foi elaborado pela FCT/Unesp (Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista) de Presidente Prudente. De acordo com o coordenador geral da equipe por trás de toda a pesquisa e elaboração, Fernando Okimoto, o gerenciamento de resíduos é uma “coisa complicada”, de forma que não é possível apresentar uma solução já “para amanhã”, mas sim, com o projeto, apontar propostas com o desenvolvimento de 78 ações e que deverão ser implantadas ao longo dos anos para a solução do problema regional. 

Educação ambiental

“Isso envolve, por exemplo, a educação ambiental e fortalecimento do próprio consórcio. Estabelecemos um cenário de referência que deve ser seguido, e a cada ano, as ações serão instaladas de uma forma sistêmica para que o resultado final seja satisfatório”, aponta o professor responsável pelo grupo. Ele lembra que a lei é clara em relação aos resíduos sólidos, que não podem ser aterrados, mas sim os rejeitos, e afirma que este é um grande problema para todos os gestores, visto que, na verdade, os caminhões possuem resíduos. “Supostamente, a solução é separar tudo o que for possível e levar para o aterro apenas o que for rejeito”. 
O relatório procurou e apontou ainda os potenciais locais, na área de abrangência dos 10 municípios participantes, que futuramente poderão abrigar o projeto para a disposição dos materiais. A escolha será feita em data oportuna. Para finalizar, o diretor-executivo do consórcio, Mateus Godoi, afirmou que este foi um passo “gigantesco para a solução do problema com resíduos da região”, de forma que o desafio agora será a execução de todo o projeto. “O que precisamos é fortalecer o consórcio para que haja o seguimento do trabalho, que se tornará referência estadual”, aponta.

SAIBA MAIS

Representantes discutem plano de operacionalização do Cirsop

Consórcio de Resíduos Sólidos realiza projeto para beneficiar catadores de recicláveis

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Veja também