Colônia lamenta morte de arquiteto e de paisagista

PRUDENTE - Jean Ramalho

Data 16/02/2016
Horário 09:32
 

Depois da morte do médico pediatra Ademir Anzai, na última quinta-feira, a colônia japonesa de Presidente Prudente perdeu mais duas figuras importantes de sua história na madrugada de anteontem. Trata-se do arquiteto Kazuo Maezano, falecido aos 86 anos, após complicações em decorrência de uma cirurgia. E do paisagista Noboru Mizukawa, que teve falência múltipla dos órgãos aos 87 anos, depois de lutar contra um câncer no cérebro.

Vereador eleito em Prudente para o mandato de 1969 a 1973, o arquiteto Kazuo Maezano foi um dos pioneiros da profissão na região de Prudente, tendo inclusive, fundado a Associação dos Engenheiros e Arquitetos da Alta Sorocabana - entidade pela qual foi o primeiro presidente. Em seu currículo, o arquiteto conta com projetos importantes, como o do calçadão da Rua Tenente Nicolau Maffei, inaugurado em 1982, e do Fórum da comarca de Prudente. Como também de hospitais, escolas e do primeiro condomínio residencial da cidade, o Morumbi.

Pai de três filhos, sendo eles: Hebert Jun Maezano, Karen Maezano e Humberto Maezano, o arquiteto estava internado há quase um mês no Hospital Iamada, em Prudente, em tratamento contra um câncer no cérebro. De acordo com o filho, Humberto Maezano, Kazuo teve falência múltipla dos órgãos e faleceu por volta das 3h30  de domingo. O corpo do arquiteto foi velado na Casa de Velório Athia e seu sepultamento ocorreu ontem, às 10h45, no Cemitério Municipal São João Batista, em Prudente.

"Temos muito orgulho da história do meu pai. Com seus projetos, sempre foi um contribuinte para o desenvolvimento e para a cultura de Prudente e região. Agora, o que fica é o legado de dedicação e de amor pela arquitetura, profissão da qual foi um dos pioneiros e incentivadores em nossa região", comenta Humberto Maezano.

 

Paisagista


Nascido na província de Okayama, no Japão, em 1º de outubro de 1928, Noboru Mizukawa chegou ao Brasil em 29 de maio de 1930, conforme informações do site da Câmara de Prudente. Depois de passar por cidades como Ribeirão Preto, Catanduva e Presidente Bernardes, o paisagista desembarcou em Prudente com sua família em 1950, onde iniciou uma pequena indústria de marmoraria.

O dom pelo paisagismo veio de sua pátria-mãe e fez com que Noboru Mizukawa se interessasse pelas técnicas de jardinagem oriental, como a ikebana e o bonsai. Um dos principais projetos do paisagista foi a revitalização da Praça das Cerejeiras, localizada entre as avenidas Luiz Cesário e Padre João Goetz, no Jardim Esplanada, em Prudente, por ocasião do primeiro centenário da imigração japonesa, comemorado em 18 de junho de 2008. No local, foram plantadas 30 mudas de cerejeiras, 15 pinheiros, 15 camélias, 40 azaleias e bambus.

De acordo com Yassuyuki Horio, presidente da Acae (Associação Cultural Agrícola e Esportiva), Noboru Mizukawa foi internado no Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças no sábado, a princípio com um quadro de dengue. Contudo, ainda conforme o presidente, no decorrer da internação, o paisagista teve uma complicação e teve que ser submetido a uma cirurgia, da qual não resistiu.

"São duas perdas enormes, não apenas para a colônia japonesa, mas também para toda a comunidade prudentina. Tanto o Noboru como o Kazuo eram expoentes e referências em suas profissões. Toda a comunidade está triste com a morte de ambos", lamenta Yassuyuki Horio. Noboru Mizukawa foi velado na Casa de Velório Athia e seu sepultamento ocorreu ontem, às 16h45, também no Cemitério Municipal São João Batista, em Prudente.

 

Veja também