Em meio à pandemia, a arte leva à criação...

"O teatro em vídeo criado especificamente para o momento ímpar que se vive”, explica o diretor, que teve o 1º episódio do projeto "Depósito" aprovado pelo edital da Funarte - Prêmio RespirArte

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 17/01/2021
Horário 09:34
Foto: Cedida
Hannaell: “Por que não deixar fluir a imaginação, pegar carona nessa nova onda e criar também?”
Hannaell: “Por que não deixar fluir a imaginação, pegar carona nessa nova onda e criar também?”

Com sua mente inquieta, sempre trabalhando, o diretor teatral prudentino, Hannaell Mendes, diz que o autor parte de sua própria experiência enquanto cumpre com sua parte para o bem do quadro social e, entre as atividades domésticas, em home office e outras, acompanha o noticiário de diversos canais de mídia e, em boa parte, percebeu-se escutando o silêncio e suas eventuais violações, como todo “shakespeariano” reflexões nunca faltam, eis a questão: 
“Por que não deixar fluir a imaginação, pegar carona nessa nova onda e criar também? E foi assim que a personagem e a dramaturgia de ‘Depósito’ começaram a ser desenhadas. Desde o princípio a proposta alicerçou-se no fazer teatral e não no viés cinematográfico ou audiovisual. O teatro em vídeo criado especificamente para o momento ímpar que se vive”, explica o diretor, que teve o primeiro episódio do projeto aprovado pelo edital da Funarte (Fundação Nacional de Artes) - Prêmio RespirArte.
Segundo Hannaell, o projeto, que está disponível no Youtube (https://youtu.be/p2Vmdpq5M0A), foi idealizado nos primeiros meses do isolamento social, em 2020, em função da pandemia. O primeiro episódio foi produzido em dois meses, entre maio e junho. Em agosto, gravaram e editaram o segundo episódio, "Minha mãe é um farol". O terceiro com roteiro e dramaturgia finalizados, "Lembranças da criança que ainda há dentro de mim", e o quarto em processo ainda não tem título, pois Hannaell tem o hábito de só definir depois de finalizados seus textos.

Veja também