Formando comissões

José Vicente - Da reportagem local

COLUNA - José Vicente

Data 13/01/2021
Horário 03:29

O presidente do Legislativo indianense, Anderson Aparecido de Oliveira (Dézinho), eleito pelo Podemos, trabalha no sentido de juntamente com os demais pares formar as comissões, que deverão atuar nos dois primeiros anos de seu mandato. São as Comissões de Constituição, Justiça e Redação; Orçamento e Finanças; Obras e Serviços Públicos; Saúde, Assistência Social e Saneamento; e, finalmente, Comissão de Educação, Cultura e Meio Ambiente. A Câmara Municipal de Indiana volta a realizar seus trabalhos a partir do dia 2 de fevereiro.

Secretariado indefenido

O prefeito de Indiana, Canarinho Júnior (Pode), ainda não definiu seu secretariado. Segundo o próprio alcaide nos informou, nos próximos dias, provavelmente semana vindoura, já estará divulgando seus principais assessores, que deverão trabalhar durante toda sua gestão. A indefinição gera uma expectativa na população, que tem a curiosidade natural de conhecer quem serão os responsáveis pelas obras a serem desenvolvidas pela nova administração.

Reforma da escola gertis

As obras já estão em andamento, desde o início do ano, através do Departamento de Engenharia da Prefeitura de Martinópolis. A referida escola passará por importantes mudanças, como cobertura de entrada, construção de mais dois banheiros e quatro salas de aula, além da adequação da área de serviço. Investimento na ordem R$ 427.700,00, devendo as obras serem entregues num prazo de seis meses.

Combate à dengue

Considerando o alto nível da doença no ano passado em Martinópolis, a municipalidade realiza visitas, com orientações e, ao mesmo tempo, eliminando possíveis focos de dengue e tratamento com larvicidas nas casas. Além da dengue existe a preocupação com o surgimento de escorpiões e criadouros de mosquito-palha.

Limpeza geral

Uma limpeza geral ao longo do mês de janeiro também está programada pela Prefeitura de Martinópolis, devendo atingir aproximadamente 70 pontos críticos onde a roçagem se faz necessária. Além de proporcionar um ambiente mais agradável à população, a manutenção frequente dessa atividade evita a proliferação de doenças como a dengue, leishmaniose e o aparecimento de animais peçonhentos.

Tapa-buracos

Nesta semana foi iniciada uma operação tapa-buracos na Rodovia Ângelo Rena, aliás uma iniciativa que se fazia necessária há meses, pois prejudicava grandemente o tráfego por aquela via que serve aos municípios de nossa região. Centenas de crateras de grandes proporções tomavam toda a extensão da rodovia, transformando o percurso em um verdadeiro campo minado, já que arrebentam pneus, rodas e amortecedores. Agora é importante também que os responsáveis façam a limpeza do mato, que escondem as placas de sinalização, itens necessários para orientação dos motoristas. 

Revolta da vacina

Tenho ouvido barbaridades a respeito da vacinação contra a doença que nos aterroriza (Covid-19). Pessoas sem o mínimo de conhecimento científico falando horrores, inventando histórias surreais sobre a vacina tão necessária, que com certeza vai salvar a população mundial. Em nossa história, houve um fato marcante, que ficou conhecido como a Revolta da Vacina, em 1904, no governo de Rodrigues Alves. O médico Osvaldo Cruz teve papel fundamental ao defender a vacinação contra a varíola, que fez milhares de vítimas. Mas uma boa parte da população, sem orientação, revoltou-se contra a obrigatoriedade da vacinação em massa. Depois de 116 anos, parece que muitos continuam tão ignorantes e radicais, se colocando publicamente contra a vacina. Naquela época, alguns políticos e militares também eram contra a vacinação.

Santos é Brasil hoje

O Santos que já ganhou três Libertadores pode se tornar o único time brasileiro a ganhar quatro títulos, ou seja, Tetra Campeão, caso elimine hoje o Boca Júniors da Argentina, na Vila Belmiro, e depois passe pelo Palmeiras, também finalista. Seria sem dúvida uma grande e histórica conquista para o clube, que revelou Pelé. Porém, como futebol se decide no campo, vamos aguardar e torcer para a equipe peixeira hoje no Urbano Caldeira. 

Difícil acreditar

Difícil acreditar, entretanto, é verdade, depois de 100 anos, a Ford está encerrando sua produção de veículos no Brasil. Nos anos 60 conheci a importante fábrica de caminhões e camionetas localizada no Bairro Ipiranga, em São Paulo. A Ford foi a primeira montadora a chegar no Brasil em 1919 e até o final deste ano deverá desativar três fábricas que ainda operam no Brasil, Camaçari, Belo Horizonte e Taubaté. Cinco mil pessoas serão demitidas.

Em tempo

Só há duas maneiras de viver a vida. A primeira é viver, como se não existissem milagres. E a segunda é viver, como se a vida fosse um milagre.

Veja também