Grêmio buscará vitória por 2 gols, no sábado, para garantir o acesso

Equipe prudentina lutou, caçou o empate, mas foi derrotado no jogo de ida das semifinais, para o União Suzano Atlético Clube, ontem, em casa, por 3 a 2 

Esportes - CAIO GERVAZONI

Data 18/10/2021
Horário 21:27
Foto: Sinomar Calmona
Após um hiato de 3 anos, 1.157 torcedores do Grêmio Prudente voltaram às tribunas do Prudentão
Após um hiato de 3 anos, 1.157 torcedores do Grêmio Prudente voltaram às tribunas do Prudentão

Na tarde de ontem, pouco mais de mil espectadores foram até o Estádio Paulo Constantino, Prudentão, para acompanhar a primeira das duas pelejas decisivas entre Grêmio Prudente e Usac (União Suzano Atlético Clube) pelas semifinais do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, quarto patamar do torneio estadual.
Em um jogo frenético de cinco gols, os torcedores gremistas saíram do Prudentão com um gosto amargo e indigesto, após a equipe da casa buscar o empate e sofrer o tento da derrota nos acréscimos, aos 50 minutos do segundo tempo. No capítulo inicial da decisão do acesso para a próxima temporada da Série A3 do Paulistão, melhor para os visitantes: Grêmio Prudente 2 x 3 União Suzano. 
Com a derrota nos primeiros 90 minutos da semi, o voo do Gavião Carcará rumo à terceira divisão do futebol paulista só será concretizado com sucesso, caso a equipe do técnico Luiz Henrique Dalben, o Epitácio, vença o União Suzano por dois gols de diferença no sábado, às 15h, fora de casa, no Estádio Francisco Marques Figueira, o Suzanão, na região metropolitana de São Paulo. No outro jogo das semifinais, em Assis (SP), Vocem e Matonense não tiraram o zero do placar. Equipe de Matão tem a vantagem do empate no jogo da volta, domingo, às 10h.
Na entrevista coletiva após o jogo, o treinador do Grêmio, Epitácio, evitou falar em um possível “milagre em Suzano” e, também, o gol sofrido nos acréscimos. “Primeiro, não considero um milagre. A gente acredita muito no potencial da nossa equipe. E realmente aquele gol no final ficou com um gostinho bem desagradável. O empate aí talvez tirando a vantagem deles no segundo tempo poderia sair com um gosto mais favorável à gente. Agora é trabalhar para reverter este resultado”, pontuou.

O confronto no 1º tempo

Após um hiato de três anos, 1.157 torcedores do Grêmio Prudente, de acordo com a assessoria de imprensa do clube, voltaram às tribunas do Prudentão para apoiar o Gavião Carcará na luta pelo acesso. O clima e temperatura amena, em Presidente Prudente, que antecederam o começo do jogo, não se refletiram nas arquibancadas e muito menos dentro de campo depois que o melão começou a rolar. 
Logo após o primeiro minuto da etapa inicial, o meio-campistacamisa 8 do Grêmio, Léo Couto, com muita finesse mandou a bola na trave direita do goleiro adversário, Felipe, e na sequência, a zaga do Usac afastou. A torcida prudentina, inflamada nos minutos iniciais do confronto, viu o Carcará estabelecer o comando da partida nos dez primeiros minutos, explorando jogadas com os habilidosos pontas Wallace, nº 7, e Lucas Silva, o Bozó, nº 11. Após esse período, o União Suzano equilibrou o volume de jogo e, também, passou a marcar presença no campo de ataque, geralmente, permeando o sistema defensivo gremista por meio de contra-ataques. 
Aos 21 minutos do primeiro tempo, o 10 do Suzano, Felipe Azevedo, puxou contra-ataque e só foi parado por Léo Couto. O árbitro Paulo Cesar Francisco amarelou o meio-campista do Prudente. Aos 33, o mesmo Azevedo, desta vez, colocou a bola no barbante. Após lançamento do lateral-direito do Javali, Gustavo, o quique da pelota na entrada da área matou o defensor gremista, Diego Landis, e sem nenhuma piedade, o 10 do Suzano aproveitou a falha do zagueiro e abriu o placar no Prudentão. 
O gol adversário desestabilizou o Grêmio e o União Suzano chegou ao segundo tento cinco minutos depois. Dener, ao melhor estilo do promissor xará - com passagens por Portuguesa, Grêmio e Vasco da Gama - que encantou o futebol brasileiro na década de 90, aproveitou um passe errado da zaga azul-grená e a partir da linha do meio de campo, arrancou pela ponta-direita. O 7 do União Suzano engatou a quinta marcha, avançou livre até a grande área, limpou Felipe Codognatto e de canhota fez um lindo gol para ampliar o placar para os visitantes. A torcida ficou ainda mais enfurecida quando viu o atacante Madalena, ex-Grêmio e atualmente no Suzano, comemorar o gol de maneira efusiva no camarote do estádio. Lesionado, Madalena não foi para o jogo e, justamente, Dener, autor do segundo gol visitante, entrou em seu lugar. 
A impaciência tomou conta do Prudentão, o time da casa conectava passes com dificuldades, porém, nos acréscimos, aos 48, o Carcará quase diminuiu a vantagem adversária. Próximo da área pela direita, Wallace ciscou pra lá e pra cá, fez uma bela jogada e serviu Lucas Silva, que também estava pela direita, no entanto, dentro da área adversária. O camisa 11 recebeu, chutou forte à gol, mas o goleiro visitante impediu. A etapa inicial chegou ao final e até ali o árbitro havia distribuído seis cartões amarelos. Dois para o Grêmio e quatro para o União Suzano. 

Qual é a graça?

Sempre que o goleiro do União Suzano, Felipe, cobrava um tiro de meta, parte da torcida que esteve no Prudentão entoava o grito de “Ô, bicha!”. Em 2019, o STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva) determinou que atos de preconceito reproduzidos em estádios de futebol no país são passíveis de punição e podem resultar na perda de três pontos e, caso haja reincidência, seis. 
Naquele mesmo ano, durante a Copa América realizada no Brasil, os mesmos gritos foram entoados no jogo da Seleção Canarinho contra a Bolívia, no estádio do Morumbi. Naquela ocasião, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) foi multada pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol)  em 15 mil dólares. 

O duelo no 2º tempo

E que segundo tempo! O Grêmio Prudente começou a etapa final na tentativa de diminuir o placar. Entre remates e bolas alçadas na área, o Gavião Carcará chegou ao gol com Neto Acará aos 15 minutos dos 45 finais. Com dois minutos em campo, já que o nº 9 havia entrado no lugar de Bolt, Acará aproveitou um cruzamento que veio da ponta direita. Letal, ele subiu alto, ganhou da zaga e de cabeça fez o primeiro do Grêmio na partida. A chama da torcida foi acesa novamente e o cheiro do empate pairava no ar. 
Aos 22, Wallace aproveitou o contra-ataque puxado pela equipe gremista e empatou o jogo para a catarse dos torcedores do Grêmio Prudente. Com vigor, Acará chegou pela esquerda, tocou para o lateral-esquerdo Bull, que estava centralizado frente a meia-lua da grande área, o 16 do Grêmio não dominou a bola e a pelota sobrou nos pés de Wallace, que chamou a responsabilidade, deixou um marcador do Suzano no chão, avançou e, com muita precisão e sem tanta força, chutou cruzado e a bola foi morrer no fundo das redes da casinha defendida por Felipe, do União Suzano. Um belo gol que trouxe esperanças aos pouco mais de mil gremistas onfire no Prudentão. 
Porém, a caixinha de surpresas do futebol reservou ao Grêmio Prudente o pior dos desfechos naquela altura do jogo em que o Gavião Carcará buscava a vitória. Nos contra-ataques, o União Suzano desperdiçou duas oportunidades de gol: a primeira aos 44 minutos com o dianteiro Patryck; a segunda aos 48, novamente, com Patryck. Na terceira oportunidade não teve jeito, o União Suzano chegou ao tento da vitória com ele: Patryck. O camisa 19 do Javali, que entrou na segunda etapa, aproveitou bola alçada na área do Grêmio e nas costas de Cordova, do Grêmio, Patryck foi preciso e de cabeça fez o gol da vitória: Grêmio Prudente 2 x 3 União Suzano.
A equipe da grande São Paulo continua invicta na competição. Agora são 11 vitórias e quatro empates em 15 jogos. Já o Grêmio Prudente teve sua invencibilidade de 18 partidas no Prudentão quebrada. O Gavião Carcará vai até Suzano no final de semana. 

Caio Gervazoni

Torcedor do Grêmio viu a equipe sucumbir, praticamente, no último lance do confronto


 

Veja também