Jovens da região lançam curtas-metragens sobre bullying

Filmes são resultado da oficina “Level Up”, trabalho de conclusão de curso de estudantes de jornalismo da Unoeste

VARIEDADES - DA REDAÇÃO

Data 01/10/2020
Horário 12:09
Nathan Dallaqua/Cedida - Jovens realizam gravação de curta-metragem para debater a temática do bullying verbal
Nathan Dallaqua/Cedida - Jovens realizam gravação de curta-metragem para debater a temática do bullying verbal

Chamar a atenção e enfrentar um tipo de violência que está presente no cotidiano da juventude: o bullying. Esse foi o objetivo da oficina “Level Up”, que organiza um festival de curtas-metragens com produções independentes de 10 jovens da região. O lançamento dos filmes ao vivo será na sexta-feira, às 19h30, pelo canal do YouTube do projeto, com a participação de atores, youtubers, jornalistas, pedagogos e pesquisadores da área.

O termo “Level Up” refere-se ao mundo da tecnologia e dos games, e denomina uma oficina de produção audiovisual desenvolvida ao longo do último ano por quatro formandas em jornalismo da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Bianca Móra, Camila Araujo, Pâmela Bugatti e Sibeli Santos, orientadas pela jornalista e doutora em Educação, Thaisa Sallum Bacco.

Participaram da oficina, que foi realizada totalmente a distância em virtude da pandemia causada pelo novo coronavírus, jovens estudantes da rede pública entre 13 e 14 anos interessados em aprender sobre a produção audiovisual e discutir sobre o bullying.

A orientadora explica que a oficina, cadastrada como projeto de extensão na universidade, está inserida no contexto de práticas de intervenção educomunicativas, unindo as áreas de comunicação e educação.

“A discussão de temas atuais por meio da linguagem audiovisual, que gera tanto interesse na juventude atual, é uma forma de mediação pedagógica bastante eficaz. A oficina Level Up é um exemplo do quanto a mídia e as tecnologias podem ser usadas a favor da educação”, destaca Thaisa.

Inimigo dos jovens

Segundo dados divulgados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) em setembro de 2019, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens entre 15 e 29 anos, sendo o bullying um dos principais estímulos para essa prática.

Para Camila Araujo, estudante de jornalismo e uma das criadoras da oficina, o audiovisual é a peça-chave para trabalhar a temática com os adolescentes.

“Acredito que eles estão em uma idade para discutir assuntos fortes como o bullying, o que é de extrema importância, mas não dá para fazer isso de forma chata, é aí que entra a comunicação e a linguagem audiovisual’, completa.


Camila Araújo/Cedida - Adolescentes aprendem como combater o bullying por meio do ensino da linguagem audiovisual

Cada tema, uma história

A turma da oficina “Level Up”, composta por 10 adolescentes, foi dividida em grupos para trabalhar os quatro tipos de bullying: físico, verbal, psicológico e cyberbullying. O resultado foi a produção de quatro curtas-metragens.

Para a participante Thamyres Lorrayne dos Santos Dias, 13, o filme foi um importante aprendizado.

“Eu aprendi sobre algo que é bem "comum" hoje em dia, que é sobre pessoas que sofrem bullying virtualmente. Aprendi sobre como eles fazem isso, e como as pessoas se sentem ao ouvir coisas horríveis”, conta.

Thamyres foi uma das realizadoras do curta “O inesperado”, que tratou do cyberbullying, e além dessa obra, também foram produzidos os filmes: “A carta” para tratar do bullying verbal, “Opressão”, que abordou a temática do bullying físico, e “O outro lado”, que retratou o bullying psicológico.

Já para a estudante Ana Júlia Caraffa de Souza, 13, integrante do grupo que abordou a temática bullying verbal, além dos aprendizados sobre a violência sistemática, conhecer a linguagem audiovisual foi a parte mais interessante da oficina.

“Eu gostei muito do tema tratado e também de aprender o que precisa para fazer um vídeo”, explica.

SERVIÇO

Os filmes produzidos pelos jovens serão apresentados no 1º Festival de curtas-metragens “Level Up”, que será realizado no dia 2 de outubro de 2020, a partir das 19h30, ao vivo no canal da TV Facopp no Youtube (youtube.com/tvfacopponline).
 

Veja também