Meu Deus é pobre!

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 18/07/2021
Horário 04:25

Deus se fez pobre por nós. As pessoas até estão dispostas a auxiliarem os pobres, mas nem sempre prontas para conviverem com eles. A fé não pode estar desvinculada do sofrimento e lágrimas do povo. Procura-se Deus onde Ele Se deixa encontrar, ou procura-se por Ele onde dificilmente não está? Procura-se Deus onde Ele prefere estar, ou procura-se Deus fora desses espaços? Deus não é neutro! Deus fez uma escolha preferencial. Essa predileção de Deus é a mesma da Igreja. Ficar na neutralidade estática diante do pobre é cair em um erro bíblico e pastoral. Deve-se escolher o pobre com seriedade, e dessa forma, encarar o odor e as dores dessa escolha vital, salutar e evangélica. Muitos se calam diante da dor do outro, pois não foram atingidos pela mesma dor. A dor do irmão tem que ser assumida como dor própria. Caminhar com Jesus é compactuar com o que Ele compactuava, é estar aonde Ele estava, é realizar o que Ele realizava, é ser para os outros o que Ele era. Em outras palavras: é desejar imitar seus gestos e opções primeiras. Jesus Cristo é a fonte e origem do “querer estar” com os pobres. Jesus viveu em Nazaré e ensina que não se deve glorificar a pobreza, nem se deve ter uma indiferença imóvel ante a fome e a miséria. Nem mesmo condenar a riqueza. Nazaré aponta um Jesus que era pobre, era humilde carpinteiro. Jesus sentou-se à mesa para ensinar a humildade e a necessidade da pobreza servidora. Quem seleciona, busca vantagem e recompensa, está apartado do que o Evangelho aponta. Não é verdadeira a vivência da fé que se isola da solidariedade com os mais miseráveis e que possuem a vida agredida. O pobre se tornou óbvio diante dos olhos de muitos e, muitas vezes o óbvio não é visto. Jesus se inclinava diante dos miseráveis e todos os que eram excluídos. Jesus assumiu a solidariedade com as multidões de pobres, simples, humildes, sofredores, mulheres, pecadores, etc. A iniciativa de Jesus era sempre ir em busca dos pobres. O que Ele fez e ensinou, se afirma sempre atual. Que o discurso de pobreza migre do plano metafórico e alcance o plano das ações. Ao se voltar por primeiro para o pobre, Deus e a Igreja revelam como Deus ama: amar os mais pequenos, injustiçados, marginalizados, pobres e indefesos é poder amar a todos. Que as preferências individuais não sejam desculpas para não se assumir a caridade em favor dos pobres! (autor: padre Rafael Moreira Campos).

MINI SERMÃO:
16º Domingo do Tempo Comum (Mc 6,30-34)
Saiba: é longo o trabalho e pequeno o descanso. Saiba também: não há descanso sem aflição. Mas saiba ainda: o descanso sempre é com Jesus. Jesus sabe que existe o cansaço e por isso convida ao descanso. Mas antes que você pense que descanso cristão seja entretenimento, descanso cristão é estar com Jesus. Você já pensou em incluir Jesus no seu descanso? Descanso quando repouso no amor. Tem muita gente descansando errado. Deixa Deus cuidar de você! (autor: padre Rafael Moreira Campos).

 

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia Nossa Senhora do Rosário – Indiana.
Missas:
Domingo às 08h e às 19h – Igreja Matriz.

 

MENSAGEM DO PAPA:

Com Jesus ao lado se pode prosseguir com segurança, se podem superar as provações, se progride no amor a Deus e ao próximo. Jesus se fez dom para os outros, tornando-se assim modelo de amor e de serviço para cada um de nós. Quando nos distanciamos de Jesus e de seu amor, nos perdemos e a existência se transforma em desilusão e insatisfação. Somos chamados a imitar aquilo que fez Jesus: ‘Tendo descido da barca, ele viu uma grande multidão, teve compaixão dela, porque eram como ovelhas sem pastor, e se colocou a ensinar-lhes muitas coisas’. Observamos os três verbos deste fotograma: ver, ter compaixão, ensinar. Podemos chamá-los os verbos do Pastor. O olhar de Jesus não é um olhar neutro ou, pior, frio e distanciado, porque Jesus olha sempre com os olhos do coração. E seu coração é tão tenro e repleto de compaixão, que sabe colher inclusive as necessidades mais escondidas das pessoas. Com Jesus ao lado se pode prosseguir com segurança, se podem superar as provações, se progride no amor a Deus e ao próximo. Jesus se fez dom para os outros, tornando-se assim modelo de amor e de serviço para cada um de nós. (Fonte: www.vaticannews.va/pt/papa/news/2018-07)

 

Veja também