Motoristas de app organizam paralisação nesta quarta-feira

Amoesp adianta que categoria não irá mais prestar serviços para as empresas Uber e 99 na região

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 16/03/2021
Horário 08:22
Foto: Arquivo
Segundo Amoesp, até 2 mil motoristas de app poderão aderir à paralisação nesta quarta
Segundo Amoesp, até 2 mil motoristas de app poderão aderir à paralisação nesta quarta

A partir desta quarta-feira, os motoristas de aplicativos de Presidente Prudente não mais prestarão serviços para as empresas Uber e 99 na região, conforme a Amoesp (Associação dos Motoristas de Aplicativo do Oeste Paulista). De acordo com a categoria, a paralisação é uma forma de protesto, uma vez que, segundo os motoristas, os ganhos não cobrem as despesas. O ato, que atingirá todo o território nacional, é um movimento criado pelo SOS Motoristas de Apps.
Dentre as medidas contestadas pela categoria em Presidente Prudente, está a “falta de segurança” para os motoristas; “descaso” das empresas com os passageiros e motoristas sem a presença de escritórios na cidade; mais de 6 anos sem reajuste nas tarifas, fazendo o serviço ficar precário; aumento do combustível, inviabilizando a prestação de serviço; e a ausência de amparo político-social e uma regulamentação justa para os motoristas.
De acordo como presidente da Amoesp, Wesley Aparecido de Jesus, em Prudente, até 2 mil motoristas poderão aderir à paralisação nesta quarta-feira. “No dia 17, às 10h, teremos carreatas em todas as cidades onde a Uber e 99 atuam”, adianta. 
Em nota, a 99 esclarece que está aberta ao diálogo e que prioriza a melhoria contínua dos ganhos dos motoristas parceiros. Nesse sentido, a empresa alega que viabiliza parcerias e condições especiais nos preços dos combustíveis, manutenção de carros e aluguel com agências para reduzir os gastos dos parceiros e, que, um exemplo disso é o desconto de 5% em postos Shell. “Estamos acompanhando de perto o movimento de alta dos combustíveis e abertos ao diálogo com motoristas e o governo [a fim de] construirmos uma solução que seja benéfica para todos”, explica. “Entendemos que nossa contribuição deve ser reduzindo o custo que os parceiros e parceiras têm e trazendo mais eficiência para suas rotinas”, acrescentou em nota.
A Uber não comentou a decisão dos motoristas.

Amparo social

Dentre as medidas apresentadas para o protesto, a Amoesp também menciona o poder público de Presidente Prudente e alega que os motoristas “não são amparados”: “Não fornece cesta básica a quem necessita e não distribui alimentos aos filhos matriculados na rede pública municipal”.
Em nota, a Prefeitura de Presidente Prudente informou que a distribuição de cestas básicas é destinada a famílias de alunos da rede municipal que estejam inscritas no CadÚnico (Cadastro Único de Benefícios Sociais), com renda inferior a R$ 522,50 por pessoa e com o número do NIS ativo, assim como vem ocorrendo desde o ano passado. “A administração municipal tem analisado a possibilidade de ampliar a concessão da cesta também a outras famílias”, declara.
Nesta quarta-feira, haverá concentração a partir das 8h no estacionamento do IBC Centro de Eventos, em Presidente Prudente. Às 10h, os motoristas sairão em carreata pelas ruas do município.

Veja também