Ocorrências de leishmaniose caem devido à pandemia 

Em 2019, foram registrados 190 casos em animais entre os meses de janeiro e julho, enquanto neste ano foram 102 ocorrências

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 25/08/2020
Horário 09:15
Arquivo - Após receber apenas demandas espontâneas, CCZ voltou suas operações em bairros
Arquivo - Após receber apenas demandas espontâneas, CCZ voltou suas operações em bairros

A LVC (leishmaniose visceral canina), transmitida pela picada do mosquito-palha, continua sendo uma grave ameaça à saúde pública, pois sua incidência pode provocar a morte de pessoas e de animais. Em Presidente Prudente, conforme balanço do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), o número de casos de leishmaniose em animais, entre janeiro e julho deste ano, foi inferior se comparado com o mesmo período do ano passado. Em 2019, foram registrados 190 casos, enquanto neste ano foram 102 ocorrências – queda de 46,3%. Segundo a gerente do CCZ, Maria Lucia Alves Costa Matioli, o menor número se deu diante dos reflexos da pandemia do novo coronavírus, período em que as atividades do centro ficaram exclusivamente para demandas espontâneas de casos positivos da doença.
De acordo com a gerente, até o mês passado, o departamento recebia apenas a demanda espontânea e realizava a coleta de material para análise tanto no CCZ, quando no IAL (Instituto Adolfo Lutz). Com um protocolo a ser seguido, em casos positivos da doença, o animal é submetido a um segundo exame, que, se confirmado novamente, fica por escolha do tutor o tratamento ou a eutanásia (mediante assinatura do termo de compromisso para o tratamento ou o de responsabilidade para a realização da eutanásia). Neste mês, portanto, o CCZ voltou suas operações em bairros, bem como os plantões de chipagem e testagem, exceto aos sábados.

Prevenção e controle

Em meados deste mês, o município encerrou as atividades da Semana Estadual de Prevenção e Controle da Leishmaniose Visceral, que proporcionou apenas ações educativas em bairros com maiores incidências da doença, sendo Residencial Monte Carlo, Parque dos Girassóis, Jardim Tropical, Jardim Vale do Sol e Parque Shiraiwa, bem como o Jardim Itaipu, que confirmou o segundo caso de leishmaniose em humano neste ano, conforme noticiou este diário. 
Maria Lucia alerta a respeito dos cuidados para prevenir a doença, que é facilmente transmitida pela picada do mosquito-palha e pode provocar a morte de pessoas e de animais. Segundo ela, as larvas do mosquito se proliferam rapidamente em locais sombrios, com vegetação e acúmulo de matéria orgânica. Por isso, os moradores devem manter hábitos rotineiros de limpeza do quintal, podas de árvores e arbustos, além de evitar o acúmulo de matéria orgânica.

A doença é facilmente transmitida pela picada do mosquito-palha e pode provocar a morte de pessoas e de animais

SAIBA MAIS
Conforme o CCZ, os sinais e sintomas da doença no animal são: emagrecimento, fraqueza, queda de pelos, vômitos, febre regular, crescimento das unhas, feridas que não cicatrizam. Caso o cão apresente esses sintomas, ele deve ser levado até o CCZ, local onde irá fazer exame para diagnóstico da doença. Já no ser humano, os sintomas são: febre prolongada, tosse seca, emagrecimento, aumento da região abdominal, uma vez que a doença pode aumentar o tamanho do fígado e baço, diarreia, e, em casos mais graves, sangramento na boca e intestino. 

SERVIÇO
O Centro de Controle de Zoonoses fica na Rua Presidente Castelo Branco, 93, no Parque Castelo Branco, em Prudente. O horário de coleta de material para diagnóstico da leishmaniose é de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 16h. O telefone para contato é o 3905-4220.

MAIS INFORMAÇÕES

Prudente confirma segundo caso de leishmaniose em humano neste ano

Infectologista esclarece sobre leishmaniose visceral humana

1º caso de leishmaniose em humano acende novo alerta

Prudente soma 76 casos de leishmaniose visceral canina

Veja também