Os riscos da inovação

Luis Isique

COLUNA - Luis Isique

Data 22/04/2021
Horário 08:00

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicou em 2020 o resultado de uma pesquisa realizada entre os anos de 2015 e 2017, que analisou 116.962 empresas brasileiras e concluiu que 33,6% são inovadoras.
Diversos empreendedores e profissionais definem, para eles, o que é ser inovador. O IBGE entende que uma empresa inovadora é aquela que insere no mercado um produto ou serviço novo ou que implementa um processo novo e melhor na sua empresa.
Mesmo com a pandemia, é possível que os índices de empresas inovadoras aumentem, pelo motivo de reestruturação na cadeia produtiva e sistemas de venda e entrega diferenciada pelas empresas atacadistas e varejistas.
É necessário pessoas capacitadas para implementar técnicas de inovação dentro das empresas, porém, as habilidades mais necessárias não ensinam nos tradicionais cursos, nem mesmo nos cursos próprios de inovação que encontramos. A habilidade mais exigida é a de questionar e, principalmente, buscar ideias para resolver o que foi questionado.
É provavelmente aqui, após a leitura do parágrafo anterior, que você se questiona. Quais os motivos que eu (como pessoa) não sou inovador ou quais os motivos que minha empresa ou setor ou funcionários não somos inovadores? A inovação precisa permitir questionamento, erros, mais erros, melhorias, testes, erros novamente para acertar. E quem está disposto a arriscar? 
Talvez o proprietário da empresa possa arriscar, a empresa é dele mesmo! Mas se ele arriscar e errar, a empresa pode fechar e todos perdem o emprego. Por motivos claros e objetivos, ninguém mais na empresa assume riscos, pois o comportamento da sua liderança por motivos óbvios não faz o que precisa.
O melhor a se fazer, para pelo menos permitir que se inicie uma nova jornada dentro da empresa, é deixar que tenha momentos de questionamentos sobre o funcionamento de alguns processos e produtos, sem retaliação aos questionadores, pois serão os mesmos que podem sugerir melhorias. As melhorias podem ser testadas em ambiente controlado, sem muitos riscos de perda para a empresa.
Permitir que todos possam contribuir para melhorias dentro da empresa não é uma tarefa fácil, mas é simples, desde que todos, sem distinção de cargo, função ou idade, tenham momentos de contribuição e sejam ouvidos de forma igualitária. As regras devem ser claras e objetivas, todos podem “sugerir melhorias” dos processos ou produtos, isso quebra a palavra “crítica” que para muitos soa muito forte e para outros apenas diz o que está de errado sem ao menos ter consciência da solução.
É possível utilizar as ferramentas de dinâmicas, cadastro de sugestões e até mesmo reuniões em conjunto para ouvir a todas as sugestões.
Bom dia!
 

Veja também