Prédio cultural pode abrigar órgãos estaduais em Prudente

Com o objetivo de economizar recursos, Fundação Itesp e Núcleo Regional do Procon estudam transferência para a área desativada, que antes abrigava Oficina Timochenco Wehbi

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 24/11/2017
Horário 11:24

Desativado desde o fim do ano passado, o prédio que abrigava a Oficina Cultural Timochenco Wehbi, em Presidente Prudente, pode voltar a ser utilizado para outro fim. Isso porque, de acordo com o Procon-SP (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor), a Fundação Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo) está em conversações com a Secretaria de Estado da Cultura para a possível transferência dos dois órgãos estaduais para o local – ambos funcionam, atualmente, no Jardim Esplanada.

O coordenador regional do Itesp, Tulio Vanalli, expõe que, em virtude da economia de recursos pelo governo, a equipe iniciou a busca por um novo espaço e encontrou a referida área. Contudo, embora o interesse tenha sido demonstrado, as tratativas ainda não foram iniciadas. O Procon acrescenta que, uma vez que não foi fechado um acordo, não é possível precisar a economia obtida com a transferência.

Procurada, a pasta de Cultura se restringiu a comentar sobre a Oficina Cultural Timochenco Wehbi, cujas atividades do programa serão mantidas por meio de convênio estabelecido com a Prefeitura. Destaca que, neste ano, foram repassados R$ 72.384 para a realização de 30 atividades. “Também foi estabelecido que a Prefeitura retirasse os bens móveis do prédio, ação que ela já está realizando”, comunica.

O prédio em questão foi fechado no fim de 2016 em razão da crise financeira e consequente queda de arrecadação. Na época, a Organização Social Poiesis, que administrava o programa, informou que as oficinas culturais passariam por um processo de reestruturação, a fim de se adequarem à nova realidade orçamentária. A Secretaria de Cultura, por sua vez, confirmou que a mudança administrativa tinha o objetivo de gerar economia de recursos, no entanto, as oportunidades de formação gratuita seriam mantidas em espaços municipais. Desde então, as atividades são ofertadas no Centro Cultural Matarazzo. Conforme a pasta, o prédio pertence ao governo do Estado, mas não é mais de responsabilidade da pasta.

 

“Embora o interesse tenha sido demonstrado, as tratativas ainda não foram iniciadas”

Tulio Vanalli,

coordenador regional do Itesp

Veja também