Restaurante de Prudente está na mira de 6 instituições

Depois de ser multado pela Fundação Procon, Primata Parrilla virou alvo da Polícia Civil, Ministério Público, Conar, OAB e Defensoria Pública

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 02/12/2020
Horário 18:47
Foto: Divulgação
Conduta do restaurante nas redes sociais será apurada por órgãos
Conduta do restaurante nas redes sociais será apurada por órgãos

Após publicar conteúdo ofensivo em que faz piadas com crimes de repercussão nacional e mazelas sociais, como a fome na África, o restaurante Primata Parrilla, de Presidente Prudente, entrou na mira de pelo menos seis instituições. Nesta tarde, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que a Polícia Civil vai investigar a conduta do estabelecimento. De acordo com a pasta, a ocorrência foi registrada ontem pela Delegacia Eletrônica e encaminhada à CPJ (Central de Polícia Judiciária) da cidade para apuração dos fatos.

Hoje, a Fundação Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) anunciou que, além de infração administrativa, fato pelo qual já foi multado pelo órgão em R$ 1.134,85, o estabelecimento cometeu crime ao fazer apologia de crime ou de fato criminoso. O diretor-executivo Fernando Capez mencionou que, por isso, o caso será encaminhado à Polícia Civil para providências.

O MPE (Ministério Público Estadual) também já foi notificado acerca do episódio. Segundo a Assessoria de Comunicação, a Promotoria de Justiça de Prudente recebeu representação sobre o assunto e esta se encontra sob análise.

Pouco tempo depois de ter aberto processo contra o restaurante, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), entidade que coíbe a veiculação de publicidade abusiva, destacou que o relator do caso concedeu, no final da tarde de ontem, medida liminar de sustação contra os anúncios do estabelecimento. O caso segue em andamento.

Já a 29ª Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Prudente comunica que, junto às comissões da Mulher Advogada, Direitos Humanos e Igualdade Racial, bem como à Defensoria Pública do Estado de São Paulo, deverá direcionar à Polícia Civil e ao MPE um requerimento para averiguação das denúncias recebidas sobre o caso.

Esta não é a primeira vez que a OAB e a Defensoria atuam juntas em relação à postura do restaurante. Em fevereiro deste ano, expediram à CPJ ofício para apuração de publicações supostamente racistas feitas pelo Primata Parrilla, tendo resultado em um inquérito. A Defensoria diz que aguarda o desfecho.

"Piada é piada"

Na noite de ontem, o restaurante fez o primeiro recuo em relação ao conteúdo publicado no Instagram: deletou uma postagem que aludia ao assassinato de Eliza Samudio depois de ser notificado extrajudicialmente pela família da vítima.

Procurada hoje pela reportagem, a administração do estabelecimento manteve o posicionamento em que defende o seu direito de fazer piadas. “Uma piada é somente e exclusivamente uma piada. As pessoas que não gostaram não têm nada a ver com a situação. Respeito a opinião delas, afinal, estamos em um país democrático e elas também podem opinar sobre o que quiserem, mas são somente opiniões sobre uma piada”, afirmou.

Leia mais

Veja também