Setor de eventos em Prudente: uma retomada tímida, mas esperançosa

Depois de quase 2 anos sem atividades por conta da pandemia, pessoas do segmento falam sobre o atual cenário com o retorno da realização de shows, festas e cerimônias 

PRUDENTE - CAIO GERVAZONI

Data 28/11/2021
Horário 03:55
Foto: Cedida
Proprietário da Vshows Produções Artísticas, Juninho relata que o sentimento é de felicidade com a retomada
Proprietário da Vshows Produções Artísticas, Juninho relata que o sentimento é de felicidade com a retomada

Há pouco mais de duas semanas, a Prefeitura de Presidente Prudente publicou o Decreto 32.518/2021, que revoga as medidas de enfrentamento à Covid-19 no município e autoriza a realização de eventos de todas as espécies com 100% da capacidade de público do estabelecimento, inclusive com shows em pé, torcidas e pistas de dança, desde que ocorra controle de público e sejam obedecidos os protocolos sanitários previstos pelo governo do Estado de São Paulo, como o uso de máscara e álcool em gel. Mediante a flexibilização das medidas de enfrentamento, a reportagem deste diário conversou com pessoas que atuam no setor de eventos em Prudente para a quantas anda o processo de retomada do segmento após o período restritivo. 
Proprietário da Vshows Produções Artísticas, Gerismar José Cavalcante Junior, o Juninho, relata que a produtora enfrentou um período atribulado ao longo da pandemia e que, após um ano e nove meses parada, o sentimento é de felicidade com o processo de retomada dos negócios, porém é necessário ter cautela com a realização dos eventos. 
“A verdade é uma só: o desejo do povo é sair. Porém, nossa preocupação é entregar um evento com segurança, cumprindo a lei. Sabemos que não adianta nada fazer um evento sem tomar as medidas certas de preocupação com todos, sem isso, a Covid vai voltar, até porque o vírus existe e ele só está sendo administrado”, argumenta. 
Quanto à remarcação de eventos cancelados durante a crise sanitária, o produtor narra que é primordial ter um entendimento entre contratante e artista. “Todo mundo está remarcando, mas existe um processo de remarcação e adaptação de valores. Porque existe os dois lados do contrato: quem comprou e está remarcando quer remarcar no mesmo valor da época”, pontua. 
Juninho complementa que a inflação e a crise econômica são as principais variáveis para a alteração dos valores de contrato. “Por exemplo, o diesel que era R$ 3 foi para R$ 6. A logística que era 20 foi para 30. O artista quer que aumente, o contratante não. Então é complicado, a gente está trabalhando mais como psicólogo do que como vendedor”. 

“ACREDITO QUE AOS POUCOS AS PESSOAS VÃO RETOMANDO A CONFIANÇA PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS. PELO QUE EU ANDO CONVERSANDO COM OUTROS PARCEIROS DO SETOR, O CENÁRIO PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2022 É BEM MELHOR DO QUE O MESMO PERÍODO DESTE ANO”.
Lariane Cordeiro Silva Santana

Para a proprietária da Ether Eventos, Lariane Cordeiro Silva Santana, o atual cenário de flexibilização das restrições apresenta ao setor de eventos uma retomada tímida, mas esperançosa, principalmente, para o primeiro semestre do ano que vem. “Não estamos com tantos clientes ainda. Acredito que aos poucos as pessoas vão retomando a confiança para realização de eventos. Até porque a gente também precisar passar segurança na organização do evento seguindo os protocolos. Pelo que eu ando conversando com outros parceiros do setor, o cenário para o primeiro semestre de 2022 é bem melhor do que o mesmo período deste ano”. 

Uma melhora considerável

Bruna Ferreira é proprietária da B&G Eventos e relata ao O Imparcial que houve uma melhora considerável do negócio após o avanço da vacinação contra Covid-19. Segundo ela, nas últimas duas semanas, “a procura para organização de eventos dobrou”. De acordo com a produtora, a demanda a maior de eventos está associada à realização de casamentos e festas de debutantes. “Durante a pandemia as pessoas ficaram um pouco frustradas em não poder fazer as festas. Com a vacinação em alta, o cenário hoje está muito parecido com que estava antes da pandemia”. 

 


 

Veja também