Solução de conflitos

Homéro Ferreira

COLUNA - Homéro Ferreira

Data 20/10/2020
Horário 04:09

Os 13 vereadores da 17ª Legislatura aprovam moção de apoio à remuneração aos conciliadores e mediadores que atuam nas unidades de Cejusc (Centro Judiciário de Solução de Conflito e Cidadania). 

Por cinco anos

É uma remuneração aprovada por lei há 5 anos, mas sem inclusão no orçamento estadual. A moção de apoio foi aprovada na sessão de ontem para ser encaminhada ao presidente da Assembleia Legislativa, Cauê Macris (PSDB) e todos os deputados. 

Serviço de exclência

Conforme o presidente da Câmara de Vereadores, Demerson Dias (PSB), são 11 conciliadores e mediadores que atuam no Cejusc em Prudente, instalado no Poupatempo, prestando serviços de excelência.

Pequenas causas

No Cejusc são atendidas pequenas causas, o que contribui para desafogar o Judiciário. Conforme Demerson, quando alguém procura por algum vereador e o assunto tem esse caráter, então é feito o encaminhamento ao Cejusc.  

Mais de 80 milhões

Para remunerar os conciliadores e mediadores em todo Estado, o montante é de R$ 80 milhões a serem inseridos no orçamento do governo paulista, fazendo cumprir a Lei 15.804 de 2015. 

Pela primeira vez

Na sessão ordinária de ontem, com a presença de 100% dos 13 vereadores, conforme apontamento feito pelo presidente, já no encerramento, foi a primeira vez que não teve extraordinária, por conta de não haver nenhuma matéria a ser votada em 2ª discussão. 

Vila da fraternidade

Para tratar de assuntos de interesse da Vila da Fraternidade, estiveram na Câmara de Veadores o presidente Pablo Felipe Silva e o diretor administrador Mário Paulo Rodrigues; recebidos em ambiente reservado.  

Moção de repudio

A extinção de estatais e comprometimento de benefícios aos servidores pelo projeto de lei de ajuste fiscal do Estado foi motivo de moção de repúdio da Câmara Municipal, em especial em relação a professores, policiais e médicos.

Surgiu a oportunidade

Aproveitando a deixa, o presidente Demerson Dias agradeceu e parabenizou o deputado estadual Ed Thomas, seu correligionário e candidato a prefeito em Prudente, por ter votado contra o projeto do governador João Doria (PSDB).

Foi no embalo

Também não perdeu a oportunidade o vereador Geraldo da Padaria (PTB) para lamentar a perda de quase 6 mil empregos com extinções de estatais e dizer que a região carece de um hospital do Iamspe (Instituto de Assistência Médica do Servidor Estadual).

Abaixo-assinado

A vereadora Alba Lucena (DEM) apresentou requerimento com questionamentos sobre a educação infantil em Prudente, em atenção a abaixo-assinado por 500 professores da rede pública municipal.

Pedido negado

A juíza eleitoral Flávia Alves Medeiros negou o pedido de candidatura do ex-vereador Adilson Silgueiro (MDB), que teve seu mandato cassado por decoro parlamentar com os direitos políticos suspensos por oito anos.

Veja também