“Drive-Thru da Reciclagem” reverte fundos para campanha de Valentina

Família da criança corre contra o tempo para a compra do medicamento de R$ 12 milhões para a cura da doença rara da bebê; arrecadações dos materiais ocorrem amanhã, no Parque do Povo

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 12/03/2021
Horário 07:15
Foto: Cedida
Campanha de arrecadação reverterá fundos para a campanha da bebê Valentina
Campanha de arrecadação reverterá fundos para a campanha da bebê Valentina

Ocorre neste sábado, em Presidente Prudente, mais uma campanha em prol da bebê Valentina, que luta contra o tempo na espera por um medicamente que custa aproximadamente R$ 12 milhões e é considerado como a cura para uma doença rara em que ela foi diagnosticada aos cinco meses, a AME (amiotrofia muscular espinhal). Desta vez, o “Drive-Thru da Reciclagem” receberá todos os tipos de materiais reciclados, como lixo eletrônico, óleo de cozinha, sucata, plástico, papel e vidros, e reverterá o dinheiro da venda desses produtos para a campanha da bebê. Ação ocorre amanhã em frente à TV Fronteira, das 9h às 16h, no Parque do Povo.
Um dos idealizadores da iniciativa é o responsável pela Rede Amor e Esperança, Eudes Elias da Silva. Após anos na atuação frente à organização sem fins lucrativos, ele aponta que já conhecia e acompanhava a trajetória de Valentina, e aponta que foi logo depois que o Estado entrou com um pedido de reconsideração da decisão de ter que fornecer o remédio mais caro do mundo é que a Rede Amor e Esperança decidiu por entrar na causa. 
“Infelizmente não temos recursos, mas podemos ajudar doando nosso tempo e nossa experiência com ações nesse sentido. Com isso, toda a renda será revertida para a campanha da bebê, o que ajudará no montante a ser arrecadado para a compra do medicamento”, aponta Eudes. Um número reduzido de voluntários foi convidado, para garantir que não haja aglomerações e que os protocolos de segurança sejam cumpridos. Além deste sábado, outras datas, locais e cidades contarão com o drive-thru (veja abaixo)

Luta pela vida

O desdobramento mais recente da história da bebê foi o fato de que o governo do Estado apresentou um pedido de reconsideração da decisão da Justiça de ter que tomar as providências necessárias para fornecer para a bebê a medicação que custa R$ 12 milhões – considerada como a mais cara do mundo, e que é a esperança da família da criança para a cura da AME, doença rara que ela foi diagnosticada aos cinco meses de vida. Com o acolhimento do recurso, o prazo de 20 dias que havia sido dado anteriormente para que o Estado tomasse as providências foi interrompido. Na última atualização de saldo, nesta semana, a campanha havia arrecadado R$ 503.319,64 dos R$ 12 milhões necessários.
Vale lembrar que, em nota, anteriormente, a PGE (Procuradoria Geral do Estado de São Paulo) confirmou que apresentou o pedido de reconsideração da decisão da Justiça, e apontou que “a Secretaria de Estado da Saúde informa que o medicamento é de altíssimo custo e não faz parte da lista definida pelo Ministério da Saúde para distribuição na rede pública”.
Destacou ainda que o governo de São Paulo concedeu, por meio de decreto de agosto de 2020, isenção de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) para a importação deste remédio, desde que haja autorização concedida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

DIAS E PONTOS DE COLETA
Amanhã: Parque do Povo 
20 de março: Praça do Ana Jacinta
27 de março: CEU Zona Leste 
3 de abril: Balneário Municipal 
10 de abril: Regente Feijó (Ginásio de Esportes) 
17 de abril: Álvares Machado (Ginásio de Esportes)

ITENS QUE PODEM SER DOADOS

- Óleo de cozinha usado;
- Papéis - Jornais, revistas, caixas, papelão, papel de fax, formulários de computador, folhas de caderno, cartolinas, cartões, envelopes, fotocópias, folhetos e impressos em geral;
- Plástico - Tampas, potes de alimentos, frascos, utilidades domésticas, embalagens de refrigerante, garrafas de água mineral, recipientes para produtos de higiene e limpeza, PVC, tubos e conexões, sacos plásticos em geral, peças de brinquedos, engradados de bebidas e baldes;
- Vidros - Tampas, potes, frascos, garrafas de bebidas, copos e embalagens;
- Metais - Latas de alumínio, latas de aço, tampas, ferragens, canos, esquadrias e molduras de quadros;
- Lixo eletrônico - Celulares, CPU, monitores, cabos e fios, transformadores, motores elétricos;
- Pilhas - De todos os tipos e tamanhos;
- Baterias de carro e de celulares;
- Fogões, geladeiras e máquinas de lavar.

SAIBA MAIS

“Bazar da Valentina” busca angariar recursos

Estado apresenta pedido de reconsideração da decisão de fornecer remédio de R$ 12 milhões

Justiça dá 20 dias para que Estado forneça medicação à bebê Valentina

Campanha visa arrecadar R$ 12 milhões para a cura da bebê Valentina

Veja também