Corpo esquartejado: Polícia Civil prende duas pessoas suspeitas de envolvimento no crime

Uma das investigadas é uma mulher de 63 anos, dona de uma casa de veraneio em Presidente Epitácio; contrato de trabalho em nome da vítima foi apreendido em imóvel da acusada

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 10/09/2021
Horário 08:53
Foto: Marcelo Casarini/Cedida
Partes do corpo estavam dentros de saco, em uma estrada de terra
Partes do corpo estavam dentros de saco, em uma estrada de terra

Duas pessoas foram presas suspeitas de envolvimento na morte de um homem de 43 anos, que teve partes do corpo encontradas no bairro Village Lagoinha, em Presidente Epitácio. As prisões ocorreram ontem durante a Operação Gravata Colorada, que ocorreu em duas cidades do Estado de São Paulo.

De acordo com a Polícia Civil, uma das pessoas investigadas é uma mulher de 63 anos, moradora de Hortolândia (SP), e que possui uma casa de veraneio em Presidente Epitácio, perto do local onde partes do corpo foram encontradas. Um homem de 65 anos também foi detido.

No dia 26 de agosto, os policiais cumpriram mandado judicial de busca e apreensão no imóvel. Com uso de equipamentos próprios, foram constatados vários vestígios positivos para sangue humano, cujas amostras foram encaminhadas ao núcleo competente da Polícia Técnico-Científica para confronto de DNA.

Na casa também havia um contrato de trabalho em nome da vítima. Devido às evidências, a Polícia Civil representou e a Justiça decretou as prisões temporárias, além de mandados de busca e apreensão  nas cidades de Hortolândia (SP) e Cosmópolis (SP).

Durante a deflagração da operação, policiais civis deram cumprimento aos mandados, prenderam os investigados e evidências dos crimes, que no momento são apontados como homicídio qualificado e ocultação de cadáver. 


Marcelo Casarini/Cedida  - Suspeita tem casa de veraneio perto de onde partes do corpo foram encontradas

Corpo esquartejado

Conforme noticiado por O Imparcial, no dia 22 de agosto, partes do cadáver foram encontradas em sacos plásticos, em uma estrada de terra na entrada do bairro Village Lagoinha. 

Uma testemunha relatou que durante a manhã passou pelo local e viu um saco plástico com volume suspeito. Em um primeiro momento, imaginou que pudesse se tratar de um cachorro morto. No entanto, ao abrir o saco plástico, segundo a PM, constatou que havia o dorso de um homem. 

Diante disso, a corporação foi acionada e compareceu ao local. De acordo com o 42º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior), no período da tarde, às margens do Rio Paraná, a testemunha localizou outros sacos plásticos que continham pernas e pés. Conforme a Polícia Militar, a cabeça não foi localizada. 

A identificação do corpo ocorreu após a Polícia Civil solicitar exame necroscópico ao IML (Instituto Médico Legal) e também uma possível coleta de impressões digitais, bem como extração de material genético. Trata-se de um homem de 43 anos, natural de Americana (SP).

As circunstâncias do crime ainda não foram divulgadas, o que segue em investigação pela delegacia. 

SAIBA MAIS

Polícia Civil investiga corpo humano esquartejado em Presidente Epitácio

Identidade de corpo encontrado esquartejado ainda é um mistério

Após passar por exames, corpo de homem esquartejado é identificado 

Veja também