Publicidade

Entidades representam a região na luta fundiária

UEPP e Sindicato Rural de Presidente Prudente atuam no sentido de recolher demandas e buscar ajuda na regularização fundiária do oeste paulista

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 09/08/2020
Horário 08:15
Arquivo - Tema fundiário é recorrente na região de Prudente Foto: Arquivo - Tema fundiário é recorrente na região de Prudente

Na sequência da série de reportagens sobre a regularização fundiária no oeste paulista, este diário continua a mostrar o papel das entidades regionais neste tema que muito tem a contribuir para o desenvolvimento regional, e como tais grupos, nos últimos anos, contribuíram para o avanço das negociações junto às diversas esferas de governo, sendo, assim, a voz da população regional. Na matéria desta edição, conheça a atuação da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente e Região) e do Sindicato Rural de Presidente Prudente, e entenda como empresas, mesmo com a insegurança jurídica, ainda apostam na região. 
A UEPP é composta por membros de associações, organizações não-governamentais, entidades de classe, sindicatos e representantes da comunidade, e tem por objetivo promover o desenvolvimento e o fortalecimento da região. Sem quaisquer filiações político-partidárias, nasceu em 2011 e desde então atuou fortemente em temas como a regularização fundiária, a reativação da ferrovia regional, a busca de melhores condições para o ambiente aéreo regional, entre outras demandas. 
“Dentre as principais demandas da UEPP está a regularização fundiária. Desde 2017, com as eleições estaduais, a entidade reivindicou alguns pontos na esfera estadual, como: a promoção, estímulo e definitiva pacificação da questão fundiária no Pontal do Paranapanema”, aponta o presidente da entidade, Marcelo Fristchy, ao esclarecer que esta situação é a causa do afastamento de investimentos na região, que está “à mercê da insegurança jurídica” que paira sobre a titularidade dessas áreas.

Representação

Por outro lado, outra entidade que segue na luta dentro desta situação, assim como outros sindicatos da região, é o Sindicato Rural de Presidente Prudente. A entidade, que é a representação patronal da classe dos produtores rurais, trabalha também de forma regional e dentre diversas formas de atuação, realiza cursos de extensão para os produtores em várias áreas de interesse da categoria. . 
Além disso, é claro, está o acompanhamento da situação fundiária regional, visto que, segundo o presidente Carlos Roberto Biancardi, o Pontal do Paranapanema tem como maior obstáculo ao seu “pleno desenvolvimento” a questão da regularização fundiária. Para ele, no entanto, parte do problema está resolvida com a possibilidade de regularização de áreas de terra de até 15 módulos. “Com a segurança jurídica advinda da regularização das áreas maiores, abre-se a possibilidade de novos investimentos capazes de transformar a região em uma nova fronteira agropecuária com potencial de grande geração de renda e emprego”, até porque esta é uma região com grande potencial de criação e reativação de empresas ligadas ao agronegócio, geração de empregos e arrecadação de impostos.

Fotos: Arquivo 

Marcelo Fritschy presidente da UEPP regularização fundiária
Marcelo atua na UEPP pelo desenvolvimento regional 

Carlos Roberto Biancardi Presidente do Sindicato Rural de Presidente Prudente Regularização Fundiária
Biancardi: “Regularização barra o pleno desenvolvimento regional”

SAIBA MAIS

Lideranças regionais na luta pela regularização fundiária

Qual a atuação do governo federal na regularização fundiária?

Nabhan recebe pedidos de ajuda com a regularização fundiária

Veja também