Entra para o terceiro dia a paralisação parcial no transporte público de PP

Conforme decreto, a partir de hoje, o transporte coletivo urbano de Presidente Prudente deverá transportar somente passageiros sentados em horários de pico

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 18/06/2021
Horário 08:36
Foto: Arquivo/Roberto Kawasaki

Na manhã de hoje, a paralisação parcial do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente entrou para o terceiro dia consecutivo. A continuação da greve ocorre devido ao não acordo entre funcionários e a concessionária que administra a frota da cidade, em relação a atrasos salariais. 

Nesta sexta-feira, os veículos chegaram a sair um pouco mais tarde da garagem - uma forma de chamar a atenção da empresa Prudente Urbano sobre a reivindicação. Diferentemente da última greve, que ocorreu no dia 26 de maio, os ônibus circulam de maneira parcial. Nos horários de pico, foi disponibilizada 50% da frota, sendo que nos demais períodos circula somente 35% dela. 

Diante da não regularização da situação dos funcionários com a empresa, a Prefeitura esclarece que a Secretaria de Assuntos Jurídicos já está analisando a possibilidade de aplicação de multa contra a Prudente Urbano por descumprimento de cláusulas contratuais.

Em entrevista a O Imparcial, o secretário de Mobilidade Urbana, major Luiz Edson de Souza, disse que a empresa  alega estar sem condições de pagar os funcionários porque está com os cofres vazios - situação que, segundo informado à pasta, tem sido acompanhada pelos trabalhadores desde o dia 31 de maio.

O acompanhamento da receita de arrecadação com o transporte público por parte dos funcionários foi decidido em audiência juntamente com a secretaria.

Em nota encaminhada a O Imparcial, a Prudente Urbano se posicionou a respeito do cenário. 

"[A empresa] tem agido para que os funcionários recebam seus salários, com total transparência de acordo com suas receitas, conforme acordado em última audiência. Apesar de todas as dificuldades, a empresa empenha total esforços para manter a operação do transporte coletivo municipal, serviço de caráter essencial, entanto, vivencia as dificuldades de um desequilíbrio financeiro contratual, sem medida efetiva por parte do Poder Público para reequilibra-lo garantindo a remuneração dos trabalhadores e o serviço aos cidadãos. Por fim, a empresa lamenta os transtornos".

Decreto sobre lotação

A partir de hoje, o transporte coletivo urbano de Presidente Prudente deverá transportar somente passageiros sentados em horários de pico. É o que determina o Decreto 32.085 publicado na semana passada, que dispõe sobre novas medidas para combater a disseminação da Covid-19 no município.

Caso não haja o cumprimento da ordem, a concessionária que administra o transporte está sujeita à multa de 300 UFMs (R$ 1.196,91) por veículo autuado.

O decreto foi publicado no dia 10 de junho e estabeleceu o período de sete dias para que a Prudente Urbano regularizasse a frota conforme determina o documento: no horário das 7h às 9h, e das 17h às 20h, é permitido circular com lotação somente de pessoas sentadas. Além da multa administrativa, o infrator poderá arcar com penalidades legais, inclusive, com interdição das atividades sem prejuízo da responsabilidade civil/criminal. 

A preocupação dos usuários de ônibus sobre o cumprimento desta medida tem a ver com a paralisação parcial dos trabalhadores da Prudente Urbano, que cobram atrasos salariais. A empresa já informou à Semob (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Cooperação em Segurança Pública) que está com “os cofres vazios”, o que não permitiu, até o momento, um acordo com a categoria. Como a demanda de veículos já está baixa, o risco de ficar sem condução é maior. 

SAIBA MAIS

Presidente Prudente tem paralisação parcial no transporte coletivo urbano

Paralisação parcial no transporte em Presidente Prudente entra para o segundo dia

Câmara encaminha relatório de CPI sobre transporte público para Semob

 

Veja também