Polícia conclui inquérito sobre morte de travesti, em Presidente Prudente

Dois homens foram indiciados por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, por meio cruel e que dificultou a defesa da vítima

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 18/08/2021
Horário 08:30
Foto: Reprodução/Facebook Geraldo Gomes
Corpo foi encontrado perto de córrego no Jardim Cambuy, em Presidente Prudente
Corpo foi encontrado perto de córrego no Jardim Cambuy, em Presidente Prudente

Na segunda-feira, a Justiça deferiu as prisões preventivas de dois homens pela morte da travesti Tamires, Pompéia Pop Ramos, que ocorreu em junho deste ano, em Presidente Prudente. Na semana passada, a Polícia Civil concluiu o inquérito e representou pelas prisões, que foram encampadas pelo Ministério Público e deferidas pelo Judiciário. 

Segundo o delegado Claudinei Alves, da 3ª Delegacia de Homicídio, da Deic-8 (Divisão Especializada de Investigações Criminais), os acusados, de 22 e 23 anos, foram indiciados pelo crime de homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, por meio cruel e que dificultou a defesa da vítima. Eles estão presos desde julho, quando confessaram o homicídio.

Vítima estava seminua

O corpo de Pompéia foi encontrado no começo da tarde de sábado, 19 de junho, em uma área verde perto de um córrego no Jardim Cambuy. De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais se depararam com a vítima seminua e ferimentos na cabeça, pescoço e peito, aparentemente feitos por objeto pontiagudo. 

Segundo relatado pela Polícia Militar, não foi possível aferir a quantidade de lesões devido à presença de sangue impregnado nelas. A perícia foi acionada pela Delegacia de Polícia Civil.

Mais tarde, algumas pessoas que conheciam a vítima chegaram ao local, porém, não souberam informar o que de fato aconteceu, tampouco os dados pessoais dela.

Porém, logo ela foi identificada como Tamires, de 26 anos, natural do Estado do Mato Grosso. Devido aos familiares residirem em Cuiabá (MT), a Frente Pela Vida das Mulheres iniciou uma campanha para arrecadar dinheiro e contribuir com o traslado do corpo. Ao todo, 91 pessoas ajudaram com doações. 

O grupo também participou de uma despedida no local onde o corpo foi encontrado.


Reprodução/Facebook - Pompéia foi morta a golpes de chave de fenda

Autores confessaram

Os indivíduos, de 22 e 23 anos, foram presos no dia 19 de julho, e relataram que antes do crime estiveram em um bar no Conjunto Habitacional Humberto Salvador, onde consumiram bebida alcoólica. No retorno, passaram pelo ponto de prostituição, onde um deles chamou Pompéia para o programa.

Ainda conforme o relato, um dos acusados permaneceu dentro do carro para realizar sexo oral, enquanto o outro ficou do lado de fora. No entanto, houve um desacordo na hora de pagar o programa, o que gerou uma discussão.

Em determinado momento, um dos rapazes desferiu um murro contra Pompéia, que caiu desacordada do lado de fora do veículo. De acordo com o que foi falado no interrogatório, a travesti foi arrastada para um matagal, onde foi morta perto do córrego.

"Eles não lembram com precisão, mas a morte deve ter sido depois da 1h30, situação que ratifica o laudo pericial", afirma o delegado. Segundo a Polícia Civil, os autores pegaram uma chave de fenda e desferiram diversos golpes contra o tórax e pescoço da vítima.

Após o ato, eles foram embora cada um para sua casa, no entanto, acabaram sendo identificados e presos.

SAIBA MAIS

Travesti é encontrada morta no Jardim Cambuy

Testemunhas prestam depoimentos sobre morte de travesti em Presidente Prudente

Dois homens são presos por morte de travesti em Presidente Prudente

Morte de Pompéia: “Queria ser mulher”

Veja também