Prefeitura suspende atendimento dos leitos de suporte respiratório do Cohabão

Situação se deu em decorrência da baixa demanda de pacientes com Covid; Sesau esclarece que estrutura será mantida por tempo indeterminado, até que se tenha certeza de que não será mais necessária

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 12/08/2021
Horário 18:35
Foto: Arquivo/Weverson Nascimento
Estrutura montada no Cohabão será mantida por tempo indeterminado
Estrutura montada no Cohabão será mantida por tempo indeterminado

Nesta quinta-feira, a Prefeitura de Presidente Prudente comunicou a suspensão de atendimento dos 15 leitos de suporte respiratório da UBS (Unidade Básica de Saúde) “Doutor Otelo Milani Junior”, conhecida popularmente como Cohabão, em decorrência da baixa demanda de pacientes com Covid-19. A unidade tinha o objetivo de desafogar as UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) e prestar assistência aos pacientes com sintomas leves e moderados da doença, que aguardam por vagas em hospitais. No entanto, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) esclarece que toda estrutura montada no Cohabão será mantida por tempo indeterminado, até que se tenha certeza de que não será mais necessária.
Instalado em março deste ano através da Prefeitura de Presidente Prudente, em parceria com a 18ª Legislatura da Câmara Municipal, empresas privadas e a sociedade civil, a unidade passou a assistir pacientes com Covid-19 que necessitavam de transferência para um serviço especializado via Sistema Cross (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), desde que não necessitassem de intubação.
O projeto, denominado “Quanto vale uma vida?”, foi elaborado e executado em tempo recorde e trouxe esperança de dias melhores para a população diante da gravidade da doença. 
Na tarde desta quinta, a Secretaria Municipal de Saúde também acrescentou que, em decorrência da baixa demanda, quatro pacientes com Covid-19 que estavam em observação nos leitos de suporte respiratório do Cohabão foram remanejados para a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do Conjunto Habitacional Ana Jacinta.

Amparo aos pacientes

Conforme noticiou este diário, a Sesau havia solicitado a colaboração da sociedade civil para que os atendimentos fossem iniciados o mais breve possível. A união em prol da vida, sem dúvidas, foi a grande propulsora deste projeto. A estrutura conta com quatro salas equipadas com torpedos de oxigênio, monitores multiparâmetros, bombas de infusão e outros equipamentos e insumos que são essenciais no amparo aos pacientes acometidos pela doença. 
À época, em um balanço divulgado pela pasta, o município havia recebido 17 camas com colchão, 17 mesas de cabeceira, 20 suportes para soro, 14 bombas de infusão, 13 monitores cardíacos multiparâmetros, 10 circuladores de ar, 10 biombos, 10 mesas auxiliares, 500 aventais, 180 lençóis, 175 fronhas, 20 travesseiros, 25 toalhas, uma geladeira, um bebedouro industrial, duas cadeiras de banho, duas macas de banho, três aparelhos de ar-condicionado, dois cilindros de oxigênio, dois respiradores, três macas de emergência e um carrinho de limpeza multifuncional.
A equipe profissional de atendimento foi formada através de uma parceria entre a Prefeitura e o Ciop (Consórcio Intermunicipal do Oeste Paulista). Contudo, com a suspensão de atendimento dos 15 leitos de suporte respiratório do Cohabão, os profissionais foram remanejados para as UPAs.

SAIBA MAIS

Prefeitura amplia leitos de suporte respiratório para pacientes Covid no Cohabão

Cohabão inicia atendimento de suporte respiratório 

Leitos do Cohabão para suporte respiratório começam a funcionar a partir desta sexta

Prefeitura inicia instalação de leitos de suporte respiratório no Cohabão

Veja também