10 de janeiro de 2017 às 09h29 - Editorial
Imprimir
RSS

Prevenção contra a obesidade deve ser discutida em família

 

Ficar longe do sedentarismo é uma das premissas de início de ano de muitas pessoas. As academias lotam, as pistas de caminhada ganham novos adeptos e a vontade de manter a forma física fica ainda mais evidente. Tudo para evitar os quilos a mais. Porém, por inúmeros motivos, muitos chegam ao extremo da obesidade, o que passa a colocar em risco a saúde. E a saída, em casos mais graves, é a cirurgia bariátrica.

Como noticiado neste diário, em 16 anos, a Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente realizou a cirurgia bariátrica em 833 pacientes. Na instituição, 393 pessoas ainda aguardam na fila pelo procedimento, sendo que, atualmente, 70 estão em situação pré-operatória.

Somente em 2016, foram 82 cirurgias de obesidade, número que não atinge a meta do SUS (Sistema Único de Saúde), de 96 procedimentos por ano, mas que coloca a cidade “tranquilamente” entre os dez serviços do país que mais operam.  No HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, ainda em 2016, foram 30 procedimentos executados.

A questão, no entanto, é que para chegar até a intervenção cirúrgica, vários procedimentos são realizados por profissionais, até que a cirurgia seja liberada pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Dessa forma, este assunto é motivo de reflexão. A obesidade e também os problemas de saúde decorrentes precisam ser prevenidos e combatidos desde a infância, com programas especiais e diálogos entre pais, responsáveis e filhos. Nesta fase é muito válida a interação envolvendo família e escola.

É certo que muitas instituições de ensino possuem nutricionistas, oferecem alimentação balanceada, falam sobre o problema em atividades dentro e fora da sala de aula. Mas, a educação alimentar inicia dentro de casa e esta preocupação deve ser estendida e completada entre os familiares e educadores. Além disso, estimular sempre a prática de atividades físicas é essencial e faz as crianças crescerem mais conscientes.

Em uma geração onde a garotada gosta e quer ficar em casa, “presa” a um telefone celular, os pais devem ficar atentos e sempre mostrar a importância de se exercitar e praticar atividades que envolvam o corpo e a mente. Tudo isso ajuda a prevenir a obesidade e, assim, pode impedir a pessoa de chegar ao extremo e necessitar da cirurgia bariátrica, um procedimento que, apesar de eficaz e de transformar muitas vidas, traz risco como qualquer outra intervenção cirúrgica.