Prudentino é condenado a multa de R$ 53 mil por divulgar pesquisa eleitoral

Indivíduo publicou a pesquisa sem observância dos critérios técnicos científicos, e sem registro no TSE

ABr - Advogado disse que irá recorrer da sentença
ABr - Advogado disse que irá recorrer da sentença

A Justiça Eleitoral condenou um morador de Presidente Prudente a pagar multa de mais de R$ 53 mil por divulgar um exemplo de pesquisa eleitoral para vereadores e prefeito na internet. O PSD (Partido Social Democrático) da cidade teve ciência da situação, e foi quem fez a denúncia à Justiça Eleitoral. 

Conforme o documento ao qual a reportagem teve acesso, o condenado, Éder Júnior da Silva, publicou a pesquisa em seu perfil pessoal no Facebook sem observância dos critérios técnicos científicos, e sem registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A ação fere às determinações impostas pelo artigo 33, caput, incisos I a VII e §1º da Lei nº 9.504/97 e pelo artigo 2º da Resolução TSE nº 23.600/2019. 

Em contrapartida, e em suma, a defesa do munícipe alegou que o representado não divulgou, mas apenas questionou a veracidade de pesquisa elaborada por terceiro, como consta na condenação da juíza eleitoral Flávia Alves Medeiros. 

Contudo, o MPE (Ministério Público Eleitoral) manifestou-se não só a favor da multa, mas também pediu que a publicação relacionada à pesquisa fosse apagada da rede social.
Em contato com a reportagem, o advogado de defesa, Adilson Silgueiro, informou que irá recorrer da sentença.

SAIBA MAIS

População votante precisa ter alguns cuidados em ano eleitoral

Prefeita de Epitácio diz ter síndrome do pânico e desiste de se candidatar

Votação deve ser estendida em pelo menos uma hora nas eleições municipais

Eleições 2020 têm novos prazos, exclusão de biometria e auxílio de tecnologias

Veja também