Publicidade

Região busca reverter recuo da flexibilização

Deputados, prefeitos e unidades municipalistas apresentarão dados sobre a saúde em reunião na capital, na terça-feira

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 14/06/2020
Horário 05:55
Arquivo: Autoridades estarão em São Paulo na terça para discutir sobre reabertura do comércio Foto: Arquivo: Autoridades estarão em São Paulo na terça para discutir sobre reabertura do comércio

Está agendada para ocorrer na terça-feira a reunião entre deputados, prefeitos e unidades municipalistas que discutirá o recuo da flexibilização da quarentena na área do DRS (Departamento Regional da Saúde) 11. O encontro com os representantes da região de Presidente Prudente será pela manhã, com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, na capital paulista.

Estarão presentes os deputados estaduais, Ed Thomas (PSB); Mauro Bragato (PSDB); e Reinaldo Alguz (PV). A reunião também contará com a participação da Unipontal (União dos Municípios do Pontal do Paranapanema), Umas (União dos Municípios da Alta Sorocabana), Amnap (Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista) e o Civap (Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema).

Em entrevista a este diário, Bragato afirma que a decisão em colocar Prudente na zona vermelha “foi um exagero”. “Nossos casos confirmados [de Covid-19] não são tão altos assim, não chega a 800 nos 53 municípios”, expõe. “São duas regiões, Prudente e Marília, que somam 49 mortos e mais de 500 casos curados da doença”. Os dados serão mostrados ao secretário para mostrar que a região, “está sob controle”, segundo o parlamentar.

“Temos muitos municípios sem casos confirmados ou mortes. Não tem porque tanta preocupação em relação à região que estava na fase amarela, de repente ficar vermelha”, afirma. A mesma situação é exposta pelo deputado Ed Thomas, que lamenta a decisão. “Precisamos buscar uma solução para o castigo que nos foi dado, porque as pessoas renovaram as esperanças, se animaram, fizeram estoque, contrataram e agora se veem na iminência de fechar as portas de novo”, afirma. “Nossa indústria do interior é o comércio, a prestação de serviços, e nos tiraram dessa situação. Há muito, muito desemprego”.

A situação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) foi lembrada pelo parlamentar. De acordo com ele, na reunião serão apresentados os números de leitos disponíveis da região, que estão vagos em boa parte das cidades. “Fomos injustiçados, os números do governo não batem com os nossos. Faltou diálogo desde o início”, afirma Ed Thomas. “Respeito quem pode ficar em casa, e respeito também quem quer trabalhar. Mas, a economia não pode parar, pois vamos viver uma situação muito mais difícil depois da Covid, se as portas continuarem fechadas”.

 

NOVOS RESPIRADORES

E LEITOS DISPONÍVEIS

Mauro Bragato explica que na quinta-feira, o Estado enviou 10 respiradores para a santa casa de Prudente. Os novos equipamentos permitem a ampliação de UTIs para garantir atendimento a pacientes contaminados pelo coronavírus que estão em estado grave. Ainda, foram pleiteados mais 20 leitos de UTI distribuídos entre o HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo e HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente).

De acordo com Bragato, a assinatura do convênio junto ao HRCPP para que receba os 10 leitos está prevista para ocorrer amanhã. Desta forma, o hospital passará a assumir o atendimento aos casos de coronavírus já desenvolvidos pelo HR. “Temos um rol de leitos de UTI disponíveis na região, muitos leitos hospitalares sobrando. O que precisa fazer agora é focar e organizar para atender bem”, afirma Bragato.

Flexibilização: entidades discutem regressão de fase com Estado, segunda-feira
“Flexibilização foi precoce”, afirma infectologista de PP
Recuo na flexibilização altera data de apresentações drive-in
Igrejas se dividem sobre flexibilização da quarentena

 

Veja também