8º Baep reforça treino para controle de multidões

Com a aproximação do período eleitoral, cavalos precisam estar aptos para atuar juntamente com policiais em eventuais manifestações

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 23/07/2020
Horário 05:12
Weverson Nascimento - Treino para controle de multidões é evidenciado pelo batalhão Foto: Weverson Nascimento - Treino para controle de multidões é evidenciado pelo batalhão

Eles têm grande porte. São fortes, ágeis e atentos. Na Cavalaria do 8º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia), em Presidente Prudente, o treinamento com os cavalos merece uma atenção especial, pois são eles quem causam uma certa intimidação ao cidadão infrator. De cima do animal, a posição privilegiada do policial amplia a possibilidade de uma visão geral da área de patrulhamento, principalmente, durante eventual ocorrência para o controle de multidões.

Geralmente, dependendo da região, as técnicas são aplicadas em partidas de futebol ou em protestos. No entanto, o aprimoramento em Prudente ocorre por conta do período eleitoral, que ocorrerá neste ano. De acordo com o comandante da Cavalaria do 8º Baep, 1º-sargento-PM Edson Laurindo Krauss Junior, com a aproximação das eleições, onde haverá maior concentração de pessoas, com possíveis manifestações, a equipe precisa estar em constante treinamento para agir nestas situações. 

A reportagem foi convidada para acompanhar o treino que simulou uma missão na arena do batalhão. Durante as provas, foram montados circuitos com diferentes eventualidades que podem surgir no controle de multidões: obstáculos como barricadas, cones, pneus queimando e linha de fogo permitem que os animais se acostumem com as cenas e não tenham medo na hora de agir – treinamento considerado “muito importante” pelo comandante, que também utiliza música com volume elevado para aproximar o animal da realidade. 

Como noticiado por este diário, além do serviço do controle de multidões, as equipes também atuam no policiamento ostensivo e preventivo em diversas áreas consideradas estratégicas pela polícia. 

Cavalaria

Amizade leal

Mas, para que as missões tenham desempenhos cada vez melhores, a relação entre homem e animal precisa estar alinhada. Conforme o comandante, a afetividade entre eles deve começar logo no primeiro contato, e vai sendo aprimorada no decorrer da rotina. E é pela conversação, o cheiro, a maneira de montar, que o animal vai ganhando a confiança do policial, segundo Krauss.

“Alguns se adaptam mais rápido, outros dão um pouco de trabalho, vai depender muito do animal”, explica. Os cavalos são da raça “brasileiro de hipismo”, e já vêm domados pelo Regimento de Polícia Montada do Estado de São Paulo. Atualmente, a região conta com 14 animais e 15 policiais que integram a equipe. 

De acordo com Krauss, a rotina dos cavalos precisa ser monitorada – banho, escovação, limpeza do estábulo, ração e feno nas quantidades corretas –, tarefas praticadas pelos próprios militares, o que viabiliza maior contato. Para integrar a equipe, os policiais passam por curso de especialização de polícia montada, além de outros, como ferrador e auxiliar de enfermeiro veterinário. 

Cavalaria

 

Cavalaria

Cavalaria

SAIBA MAIS

Cavalaria do Baep simula missão no Quartel

8º Baep celebra um ano de instalação

Anna Caroline Funayama Soares, soldado no Baep

Veja também